• Postado por Tiago

p---operacao-transparencia---gercino-gomes-neto-foto-rubens-flores-15dez09-(4)

Gercino disse que trabalho da PF foi ?técnico e competente?

?Não há dúvidas de que o inquérito contém elementos suficientes para o oferecimento da denúncia pelos crimes de corrupção, advocacia administrativa e violação de sigilo funcional. O Ministério Público age tecnicamente, não politicamente?. Assim o procurador-geral de Justiça, Gercino Gerson Gomes Neto, justificou na tarde de ontem a decisão de denunciar os sete indiciados pela Polícia Federal na Operação Transparência, entre eles o vice-governador Leonel Arcângelo Pavan (PSDB).

A ação penal foi ajuizada no Tribunal de Justiça na tarde de ontem mesmo. O procurador enquadrou a turma exatamente como o indiciamento da Polícia Federal. Pavan foi denunciado em três artigos que tratam de quebra de sigilo profissional, advocacia administrativa e corrupção passiva. Os demais foram denunciados em crime de advocacia administrativa e corrupção passiva e ativa. Pavan pode ser ainda alvo de uma ação de improbidade administrativa, o que poderia fazer o tucano perder seus direitos políticos.

Além de Pavan, também foram denunciados Pedro Mendes, fiscal e diretor geral da secretaria da Fazenda; Anastácio Martins, fiscal da Fazenda e diretor de Administração Tributária; Vanderléia Aparecida Batista, advogada da secretaria de Desenvolvimento Regional de Itajaí; Armando Taranto Júnior, médico e os empresários da Arrows Petróleo do Brasil, Eugênio Rosa da Silva e Marcos Pegoraro.

?Indícios suficientes?

Gomes Neto explicou que no inquérito ficou comprovado que Pavan recebeu R$ 100 mil dos empresários Marcos Pegoraro e Eugênio Rosa da Silva. ?Pra mim há indícios mais do que suficientes para a denúncia. Tecnicamente todas as provas existentes nos autos me deram a segurança jurídica para firmar o meu convencimento?, afirmou o procurador. ?Há informações nos autos de testemunhas que atestam com segurança os fatos e são corroborados por todos elementos de provas?, explicou.

O procurador garante que Pavan era assim ó com os dois empresários. Mas garante que isso só não bastou pra ficar convencido. Disse que as imagens e gravações que constituem as provas levantadas pela PF falam por si. ?O trabalho da PF foi extremamente técnico, profissional e competente. Desde março foram mantidas as informações em absoluto e rigoroso sigilo. A partir do início das investigações o MP acompanhou o trabalho da PF. Desde então temos conhecimento dos fatos?, revelou.

Cadê o processo?

Não bastasse esse rolo todo, a Polícia Federal confirmou que o processo em que a empresa Arrows pretendia ter a inscrição cancelada desapareceu da secretaria de Fazenda. A informação foi dada pelo delegado Luiz Carlos Korff, responsável pela investigação. Pra tentar saber o destino da papelada, a Fazenda instaurou há duas semanas um inquérito administrativo pra saber quem é o autor de mais essa cagada.

Pavan: ?Vou provar minha inocência?

Após o pronunciamento do Ministério Público, Pavan enviou uma nota à imprensa se defendendo das acusações. ?Vou demonstrar de maneira clara e cabal minha total isenção em relação a qualquer fato que possa ser considerado ilegal?, afirmou. ?Não cometi ou permiti que fosse cometido, direta ou indiretamente, qualquer ato ilegal. Tanto no exercício do poder público, como nos atos da minha vida privada?, acrescentou o ex-prefeito de Balneário Camboriú.

Pavan disse que é o maior interessado na apuração da verdade e nega taxativamente que tenha recebido grana dos empresários. ?Não recebi qualquer tipo de proposta ou vantagem ilegal de quem quer que seja. Os fatos narrados ou comentados via imprensa, até agora, são puras ilações ou insinuações maldosas de quem poderia ter falado em diálogos a parte, mas nunca ocorridos comigo?, defende-se, qualificando as denúncias como ?calúnias e acusações precipitadas?.

O tucano ressalta que em sua vida pública já foi alvo de investigações e ações judiciais em várias ocasiões, tendo sido absolvido em todas. ?Fui muitas vezes injustamente acusado, quase sempre em período eleitoral. Muitas destas acusações, sequer levadas à Justiça. E quando levadas, fui absolvido em todos os processos?. Pavan disse que vai manter sua rotina normal de vice-governador e que vai provar sua honestidade. ?Mais uma vez, vou provar a minha inocência por que acredito najustiça?completou.

  •  

Deixe uma Resposta