• Postado por Tiago

Os sete indiciados pelo relatório da polícia Federal (PF) na “Operação Transparência” terão seus destinos traçados na terça-feira, quando o procurador geral do Ministério Público (MP) de Santa Catarina, Gercino Gomes Neto, irá anunciar quem será denunciado no esquema que envolveu Pavan, cinco bagrinhos e mais dois empresários da Arrows.

Normalmente, o tempo entre o recebimento do inquérito e a denúncia do MP costuma ser maior mas, segundo fontes de dentro do órgão, como Gercino já vinha acompanhando o caso desde o começo, o procurador já sabe quem era quem no esquema, e por isso vai decidir quem irá denunciar rapidinho.

Se o sabichão mantiver os crimes citados no indiciamento pela PF, e se Pavan for condenado pelas paradas das quais é acusado, como corrupção e advocacia administrativa, o bagrão pode pegar até 15 anos de prisão. Já os representantes da Arrows Combustíveis, Eugênio Rosa da Silva e Marcos Pegoraro, pegariam uma pena máxima de 12 anos, e ainda pagariam multa.

Os quatro funcionários públicos metidos no esquema, Pedro Mendes, Anastácio Martins, Vanderléia Aparecida Batista e Armando Taranto Júnior, podem pegar detenção de três meses a um ano.

  •  

Deixe uma Resposta