• Postado por Tiago

Os moradores de Palhoça prometem pra hoje um grande berreiro nas imediações da praça de pedágio no quilômetro 221 da BR-101. A manifestação e a indicação de que podem bloquear a rodovia é por conta do início da cobrança do pedágio a partir da zero hora de amanhã. Ou seja, hoje será o último dia que os motoras vão passar na faixa por este trecho da rodovia. “É uma falta de respeito. Estamos com várias ações na justiça tentando impedir esta cobrança simplesmente porque as obras que deveriam ser feitas não foram executadas pela concessionária”, alega o presidente do Conselho Comunitário da Guarda do Cubatão, Edeni Niehues, o Nenê.

Na semana passada, a justiça federal acatou a ação civil pública com o pedido de liminar movida pela prefa de Palhoça contra a cobrança do pedágio, o que deixa a turma confiante de que alguma coisa vai rolar pra impedir que o caça-níquel comece a funcionar.

Pro presidente do Crea/SC, Raul Zucatto, o pedágio foi a forma encontrada pelo governo pra que alguém assumisse a bronca de deixar as estradas ajeitadas. “Nós achamos que primeiro tem que concluir a rodovia. Cobrar o pedágio antes de concluir a rodovia é, no mínimo, um contrassenso e um atentado à sociedade”, acredita.

Pro gerente da empresa, César Sá, a concessionária não tem culpa da forma como foi redigida a lei que libera a cobrança do pedágio. “A legislação não fala em conclusão de obras e nem em cobrança por trecho percorrido como ocorre em outros países. O ideal seria pagar pelo trecho que percorre, mas isso incluiria mais obras para restringir as entradas e saídas da rodovia”, conta.

O preço

Além de Palhoça, outras três praças funcionam na 101: em Porto Belo, Araquari e Garuva. O preço a ser cobrado em Palhoça será o mesmo dos outros pontos. Carros pagarão R$ 1,10. Caminhão leve, ônibus, caminhão-trator e furgão vão pagar R$ 2,20. A taxa pode custar até R$ 6,60 dependendo do tipo de bruto.

  •  

Deixe uma Resposta