• Postado por Tiago

INTERNA-POLÍCIA-CINCO---ABRE-fotos--CARLOS-VEXAME-003

Pedreiro não tava usando nenhum tipo de material de segurança

O que era pra ser um dia de alegria vai ficar marcado como a data de uma tragédia para a família de Carlos Vechani, que completaria ontem 60 anos. O pedreiro morreu ao cair de uma altura de cerca de 15 metros de um galpão em reforma, na Barra do Rio, em Itajaí. O coitado tinha acabado de ser contratado para consertar o telhado do galpão. Os bombeiros informaram que na hora do acidente o pedreiro não usava nenhum equipamento de segurança. A suspeita é que a vítima pisou em uma telha plástica, que não resistiu a seu peso.

Vários pedreiros tavam trabalhando na obra de reforma do galpão quando Carlos caiu, entre eles o sobrinho da vítima, que não teve o nome revelado. O galpão fica atrás do posto de gasolina Weiss, na rua Alfredo F. Moreira, pertinho da 2ª depê, e tava sendo reformado. Passava das 10h30 quando o trabalhador caminhava em cima das telhas de alumínio da cobertura do galpão, se descuidou e pisou em uma de plástico transparente, usada para iluminar o ambiente. Quando os colegas perceberam, o corpo do pedreiro já tava estirado no chão.

Quando os bombeiros chegaram ao local, Carlos já tinha dado o último suspiro. Os vermelhinhos acreditam que a vítima caiu de uma altura de cerca de 15 metros. Carlos era morador do Portal e tinha sido recém contratado pra dar um jeito no telhado do lugar. O galpão era usado como oficina pelo dono do posto Weiss, mas foi arrendado por um empresário, que disse aos bombeiros que pretende construir uma quadra futebol no local. Os tiras da 2ª depê vão investigar de quem é a responsabilidade pela morte do trabalhador e por que o Carlos tava andando pelo telhado sem equipamentos de segurança.

  •  

Deixe uma Resposta