• Postado por Tiago

A morte de Jacir Ribeiro, 38 anos, foi a segunda tragédia na construção civil de Itajaí em menos de uma semana. Na quinta-feira passada, o peão Israel Severino, 32, despencou de um galpão em construção da avenida Abraão João Francisco, a Contorno Sul, e morreu na hora. O coitado não usava equipamentos de segurança.

O presidente do sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon) de Itajaí, José Carlos Santos Leal, está preocupado com os acidentes e com os impactos que eles podem trazer na construção civil da região. Ele afirma que no caso do acidente de ontem, a empresa veio de fora da cidade pra realizar a obra e a Sinduscon não tem como fiscalizar ou orientar, pois não é associada.

Pras empresas associadas, o Sinduscon tem um engenheiro terceirizado que faz vistorias nas obras, identifica problemas e emite um relatório. “Com base nesse relatório, o sindicato orienta o construtor a se adequar para evitar acidentes”, comenta José Carlos.

O presidente diz que os acidentes prejudicam a construção, pois o Ministério do Trabalho começa a bater forte na cidade. “Isso prejudica a cidade, o Ministério do Trabalho vem arrebentando com tudo”, garante.

José finaliza dizendo que o Sinduscon se preocupa com os acidentes que acontecem na construção civil, mas, em casos como o de ontem, fica de mãos atadas, sem poder agir.

  •  

Deixe uma Resposta