• Postado por frandiarinho

O júri popular condenou Denílson Alexandre da Silva a pena de 46 anos e oito meses de reclusão; Luiz Henrique de Abreu e Márcio Rogério Waltrick a 40 anos de 10 meses de reclusão; e Gláuber Sátiro dos Santos a pena de 35 anos de jaula. Todas as penas são em regime inicialmente fechado.

O trio foi condenado pelo assassinato de Jonathan Robson da Silva e tentativa de assassinato contra Fabiano Godinho. Segundo os autos, no dia 12 de julho de 2006, no Morro do Mocotó, na Capital, os acusados, juntamente com um adolescente, capturaram dois de seus “olheiros” do tráfico de drogas – as vítimas Fabiano Godinho e Jonathan Robson da Silva – e com vontade de matá-los, levaram-nos pro local conhecido como “cabeça do santo”, no alto do Morro.

Uma das vítimas, Jonathan, depois de agredido a socos e pontapés, teve seus braços amarrados e foi jogado em uma cisterna desativada do hospital de Caridade – hoje conhecida como “micro-ondas” – e foi totalmente queimado.

A outra vítima, Fabiano Godinho, teve seu pescoço amarrado por um fio elétrico pelos acusados, que lhe agrediram cruelmente com socos e pontapés, causando-lhe traumatismo crânio. Fabiano só não morreu porque os réus foram distraídos pela passagem de alguém, o que o fez conseguir fugir e se refugiar na casa de Luciano Fraga Pereira, que fica perto do local.

  •  

Deixe uma Resposta