• Postado por Tiago

Ontem, os cerca de 200 trabalhadores do turno da tarde da empresa Frigovale, que fica na Itaipava, em Itajaí, fizeram beicinho, cruzaram os braços e se recusaram a trampar. O motivo foi o atraso no pagamento do mês de julho.

Os operários somente voltaram ao trampo ao final da tarde, depois que a empresa se comprometeu com a direção do sindicato dos trabalhadores na indústria de alimentação de que fará os pagamentos até semana que vem.

Celso Kukiela, diretor da Frigovale, admitiu ao DIARINHO o atraso nos salários. “Mas hoje [ontem] já pagamos metade e vamos resolver a situação”, afirmou. Celso garante que a partir deste mês a fase de transição burocrática da compra da Frigovale se completa e a situação voltará ao normal. “A reinvidicação dos trabalhadores é justa. Olhamos com muito respeito e agimos da melhor maneira para resolver a situação”, discursou.

Ontem, a direção do sindicato dos trabalhadores na indústria oficializou à justiça do trabalho o estado de greve na Frigovale. “Se até quinta-feira a situação não se resolver, vamos parar todos os turnos”, ameaçou Osvaldo Mafra, presidente do sindicato e da Força Sindical em Santa Catarina.

Vendida pra grupo de Sampa

A Frigovale foi vendida em maio pela família do prefeito Jandir Bellini (PP) ao grupo paulista Nêmesis, que tem investimento em vários setores. A empresa tem aproximadamente 500 funcionários e hoje abate cerca de 10 mil frangos por dia. Metade da sua produção é destinada à exportação.

  •  

Deixe uma Resposta