• Postado por Tiago

CONTRA---s---jet-ski---frances-pierre-tri-mundial---divulgação-04.09.08---CAPA

Mais uma vez Itajaí perdeu a chance de sediar uma competição internacional por causa de pendengas entre a prefa e os organizadores de eventos esportivos. Primeiro foi a etapa do mundial de moribugue, no mês passado, que saiu da praia Brava e rolou em Estaleiro, no Balneário Camboriú. Agora a cidade não será mais o palco da grande final do campeonato mundial de manobras nas ondas com jet ski, o Jet Waves 2009, que rola em outubro.

A competição é disputada desde 1999 e possui etapas em vários países. A final é sempre na Santa & Bela com a presença das feras do esporte mundial, como o catarinense Alessander Lenzi. Mas por falta do pagamento da última etapa, que rolou de 5 a 7 de setembro de 2008, a competição não virá mais pra cidade peixeira. O criador e organizador da competição, o catarinense Marcelo ?Tchello? Brandão disse que a prefa, além de não pagar também não deu satisfação. ?A etapa de 2007 aconteceu normalmente, mesmo com a verba sendo paga em atraso. Já em 2008 tivemos este problema e este ano não entrei em contato com ninguém de Itajaí?, diz o organizador.

Marcelo explicou que, além da verba dos patrocinadores, a cidade-sede entra com parte da grana gasta pra promover a competição. ?O pagamento é feito pouco antes da etapa rolar, mas ela já fica marcada muito tempo antes. Chegou a data e não recebemos, mas não pude mudar o local porque temos competidores de vários países e não seria correto com eles?, explicou.

Segundo Marcelo, a Fundação Itajaiense de Turismo, a Fitur, responsável pela parceria, não enviou nenhum comunicado, não ligou, deixou tudo por isso mesmo. ?Não fizeram contato nenhum comigo, isso que é o pior?, reclama. Sendo assim, Piçarras levou o direito de sediar a competição. ?Eles fizeram uma proposta muito boa?, diz.

O organizador não pretende cobrar a grana que teve de desembolsar, mas avisou que a cidade não receberá mais nenhuma de suas competições, já que ele também é presidente da Federação Internacional de Freeride Jetski. ?Faço campeonatos de surfe e outros esportes, com certeza Itajaí não será sede de nenhum deles por causa desse acontecimento?, lascou

Fitur nem aí

A responsabilidade pelo pagamento da etapa de 2008 é da antiga gestão da Fitur, mas mesmo assim pega mal pra Itajaí a velhaquice. A superintendente da fundação, Valdete Campos, não estava na administração anterior, por isso passou a bola pro diretor de turismo, Darlan Martins, que participou da negociação da época. Ele afirmou que nada foi assinado pra que a etapa rolasse em Itajaí, pois antes mesmo foi decidido que a cidade não receberia a competição. ?Analisando o retorno que tivemos em 2007, a prefeitura viu que não valia a pena, pois o investimento é muito maior do que o retorno?, explicou.

Ele não soube dizer quando rolou a decisão, mas afirmou que o contrato não foi assinado. ?Não tínhamos recurso específico pra isso porque nem estava no nosso calendário. O local só não foi mudado porque já estava agendado?, garante. Mesmo com o filme queimado com a Federação Internacional de Jetski, Darlan diz que não tem porque conversar com Marcelo e resolver o perrengue. ?Não temos interesse em nenhuma dessas competições, não traz retorno pra cidade?, garantiu.

  •  

Deixe uma Resposta