• Postado por Tiago

O prefeito Edson Periquito (PMDB) fez ontem à tarde o anúncio oficial da dança das cadeiras entre vereadores e abobrões na prefa de Balneário Camboriú. Ele admitiu que o troca-troca foi pra reforçar o time que defende o governo na casa do povo. “Queremos ter condições de ampliarmos o debate na câmara”, lascou. O homem-pássaro aproveitou o plá pra mostrar o que tá fazendo, choramingar por conta da falta de recursos e falou até da doação fantasma de R$ 200 mil que assombra seu mandato.

As mudanças foram drásticas. Claudir Maciel (PPS), que respondia pela secretaria de Planejamento, Nilson Probst (PMDB), ex-secretário de Segurança, e Luiz Maraschin (PR), que tava no comando da secretaria de Inclusão Social, botaram as pastinhas debaixo do braço e voltaram pra câmara de vereadores.

Quem assumiu o Planejamento foi o mandachuva da empresa Municipal de Água e Saneamento (Emasa) Ney Clivatti, que vai acumular os dois trampos. “Mas só vai ganhar por um”, garantiu o prefeito. A secretaria de Segurança ficou nas mãos do ex-policial Militar Adelcio Bernardino, e o vereador Asinil Medeiros (PR), dono da vaguinha que Maraschin vai abocanhar na câmara, ganhou de presente a Inclusão Social.

A vereadora Christina Barichello, a Pink (PPS), que tava no lugar de Claudir, ficou com uma boquinha no colegiado da Educação. Já o Robertinho Souza Junior (PMDB), que tava esquentando cadeira pro Nilson, ainda tá sendo cozido em banho-maria. “Estamos conversando pra ver o que ele deverá assumir”, disse Periquito.

O prefeito disse que todos os envolvidos concordaram com a novidade. Mas antes mesmo do anúncio oficial, Claudir já tinha dado a entender que voltar pra casa do povo não tava nos seus planos. “Temos que jogar em equipe. Não adianta eu estar feliz se minha equipe não estiver”, soltou. Pelo jeito o beicinho funcionou, porque ele foi escolhido como novo líder do governo na câmara.

Nilson Probst, que há algumas semanas envolveu-se num bate-boca feioso com a bancada da oposição por conta do projeto da guarda municipal, não acha que vá passar por uma saia-justa. “Não vamos levar a discussão pro lado pessoal”, acredita.

Feliz da vida mesmo ficou a Pink, que ganhou a promessa de assumir, no ano que vem, o posto de secretária de Educação. “É um sonho que eu sempre tive”, contou.

E dá-lhe propaganda

Depois de apresentar as mudanças, o prefeito-ave aproveitou pra fazer jabá do governo. “Antes se inaugurava até boca-de-lobo. Hoje se faz rede de esgoto e não se divulga. É uma falha nossa”, soltou. Ele falou sobre as obras da Quinta avenida, do Binário, do hospital municipal, e jurou de mãozinhas postas que nada tá parado. Periquito completou reclamando da falta de dindim pra dar conta de projetos como o da ponte da Vila Real. “Perdemos tempo porque tivemos que rediscutir orçamento”, disse.

O prefeito pelo jeito tomou uma boa dose de Maracujina antes do falatório, porque não se importou nem de falar sobre o fantasma de Waldemar Luiz Correia, o generoso doador que injetou R$ 200 mil em sua campanha eleitoral. Questionado sobre o processo, ele contou que tá pra entregar sua defesa. “Eu tinha o prazo até o dia nove, mas vou entregar amanhã. Tenho pressa de que aconteça esse julgamento. O resultado é a justiça quem vai decidir, mas sei que nunca tive nenhum voto comprado”, carcou.

  •  

Deixe uma Resposta