• Postado por Tiago

GERAL-10-ABRE---g---sposito

Spósito: ?A vinda da UPA pra cá era uma enganação?

O prefeito Edson Periquito quer entregar a administração do pronto atendimento (PA) 24 horas do bairro da Barra, em Balneário Camboriú, à iniciativa privada. O secretário de Saúde, José Roberto Spósito, diz que o motivo é a falta de grana pra arcar com os custos de funcionamento, que ele calcula que cheguem à bagatela de R$ 160 mil mensais. ?Temos que fazer isso pelo menos por um ano?, disse. Mas pro vereador Dão Koeddermann (PSDB), que é líder da oposição na casa do povo, a razão é outra: ?Tá faltando competência?, carcou.

A proposta de terceirizar a administração do postinho aterrissou na câmara no final da semana passada. No papeli tá escrito que a entidade que se candidatar a tocar o PA tem que ter certificado de utilidade pública municipal, estadual e federal, e de entidade beneficente. Também é preciso provar experiência de no mínimo cinco anos de atuação na área da saúde.

Os interessados vão ter que passar por um processo licitatório e a entidade vencedora assina um contrato com a prefa. Caso o acordo não esteja sendo cumprido, o município pode tomar o postinho divolta.

O secretário de Saúde diz que não tinha outra alternativa senão entregar a administração, pra poder botar o PA pra funcionar. ?Seria preciso fazer muitas contratações, de médicos, enfermeiros, e pelo menos durante um ano não temos condições de colocar toda essa gente na folha de pagamento. Fica bem mais barato terceirizar?, comentou.

Dotô Spósito disse ainda que, como tá sendo discutido o plano de carreira dos barnabés, os abobrões acharam melhor segurar a onda. ?Assim vamos ter tempo de analisar e ver o que vai ser mais benéfico?, comentou.

Pelos cálculos dele, a entidade que ficar com a responsa de tocar o PA vai ganhar R$ 160 mil, num mês sim e no outro também. O secretário espera botar o postinho pra funcionar no início do ano que vem. ?Esperamos que até o final de janeiro esteja aberto? disse.

Batata-quente

Pra que os planos de Spósito dêem certo, a câmara tem que aprovar a proposta com máxima urgência, já que a última sessão do ano rola na semana que vem. Mas apesar de ainda não ter sido apresentado oficialmente aos edis, o projeto já tá causando o maior bafafá.

O vereador Dão Koeddermann contou que ficou surpreso com a novidade. ?A prefeitura não quis a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do governo federal, que teria uma ajuda de quase R$ 200 mil por mês. Tá pagando um aluguel de R$ 5 mil no PA da Barra desde julho e agora quer privatizar. Estou surpreso?, carcou.

O secretário de Saúde diz que não quis saber da UPA porque acha que era tudo uma baita lorota. ?A vinda da UPA pra cá era uma enganação, coisa pra inglês ver. Nunca viria pra Balneário porque já tava prometido pra Camboriú?, acusa. A proposta da UPA, que rolou na metade do ano, incluía R$ 2 milhões pra implantação de um pronto-socorro e mais R$ 175 mil de mesada pra cobrir os custos, mas na época ganhou um não do prefeito-ave.

  •  

Deixe uma Resposta