• Postado por Tiago

A chefona da Organização Mundial da Família (WFO), Deisi Noeli Kusztra, continua sua peregrinação pra mostrar pras otôridades de Balneário Camboriú que não existe maracutaia com a grana usada pra construção do hospital Ruth Cardoso. Desta vez, quem recebeu um calhamaço de papélis com a prestação de contas das obras foi o prefeito-ave, Edson Periquito (PMDB).

Cinco dias depois de entregar 28 pastas de papelada aos vereadores da Maravilha do Atlântico, a loirosa da WFO chegou ao gabinete do prefeito emplumado com mais 13 pastas atulhadas de documentos, explicando – no mínimos detalhes! – o que foi feito com a dinheirama investida no hospital, fruto duma parceria entre a ong e o município nos tempos em que a ave-mandante de Balneário era o tucano Rubens Spernau (PSDB). O governo do estado também participou, mandando uma grana pra ajudar a prefa a pagar a obra.

O prefeito recebeu a papelada e prometeu encaminhar tudo pra controladoria do município. Lá, os técnicos em contabilidade devem fazer as contas pra ter a certeza de que nenhum tostão da verba destinada à construção do hospital da discórdia sumiu pelo meio do caminho. A turma das calculadoras científicas tem 30 dias pra dizer o que achou das contas.

Relembre

A prestação de contas foi solicitada pelos vereadores da Maravilha do Atlântico depois que se espalhou pela city a notícia de que a chefona da WFO teria comido a grana da construção de outras instituições no Paraná e em Sergipe.

Pelas denúncias, a mulher teria que acertar as contas com a dona justa paranaense por ter sumido com R$ 592 mil em cheques, quando era diretora geral da associação Sazza Lates, de Curitiba. Também foi divulgado que houve rolo com R$ 6 milhões da obra de um hospital de Sergipe, quando Deise já encabeçava a WFO, em 2003.

  •  

Deixe uma Resposta