• Postado por Tiago

Técnicos do Instituto Geral de Perícias (IGP) começaram ontem a realizar os primeiros testes que vão confirmar a forma como Terezinha Aparecida dos Santos morreu. A criança de sete anos foi encontrada sem vida dentro de um microondas, após ter sumido por mais de três horas.

Os pais da criança contaram que a menina tava dentro dum micro-ondas escangalhado, usado como brinquedo numa casinha de bonecas que fica junto à casa da família, no morro do Alemão, no bairro Potecas, em São José.

“Pelo exame e com algumas informações que temos do peso e do tamanho da criança, achamos que é possível que o aparelho tenha condições de abrigar um corpo de criança nas condições da vítima”, afirma o técnico do IGP, Lourival Abreu Júnior, perito químico com mais de 30 anos de experiência no ramo.

O forno onde a criança teria morrido e um boneco com medidas semelhantes às de Terezinha foram usados pra ajudar a desvendar o mistério. O eletrodoméstico tem 42 centímetros de largura, 24,5 de altura e 42 de profundidade. Terezinha tinha pouco mais de um metro e pesava 27 quilos. Os dados são fundamentais pra que, após a simulação mecânica, os peritos possam fazer a simulação num programa de computador, que dará o veredito final sobre a morte da menina.

Pelo laudo da necropsia, que será divulgado somente na semana que vem, a menina morreu por asfixia.

  •  

Deixe uma Resposta