• Postado por Tiago

Na tarde de ontem, os peritos do Instituto Geral de Perícias (IGP) fizeram um verdadeiro pente-fino no carro do padre Alvino Broering. A ideia é tentar descobrir tintim por tintim como o crime aconteceu.

Os peritos coletaram impressões digitais, cabelos e analisaram os vestígios de um material que aparentemente parece ser sangue. Também recolheram notas fiscais e outros documentos encontrados.

Luciano Miranda, investigador da central de Operações Policiais (COP), e responsável pelo caso, informa que apesar do assassino ter se entregado e confessado o crime, é necessário fazer esse levantamento de dados para comparar com o depoimento dos acusados.

O material que parece ser sangue passará pelo teste do Luminol – um reagente que indica sangue. Se for confirmado o sangue, os investigadores acreditam que isso revela que o padre levou a primeira facada ainda quando estava dentro do veículo. Os peritos têm 30 dias para entregar o laudo da perícia.

  •  

Deixe uma Resposta