• Postado por Tiago

A falta de água no Gravatá, em Navegantes, tá deixando o povão na secura. O leitor Juliano Valdir Weiss, 27 anos, conta que nem banho tá podendo tomar quando chega cansado do trabalho. Isto porque, desde o início da temporada, o líquido precioso é raridade no bairro.

O pessoal do departamento de Água e Esgoto (DAE) costuma liberar a água durante a madruga, mas, diz Juliano, tem vezes que passa o dia e a noite e nada da água chegar. Pra contornar a situação, ele divide uma ponteira pequena com os vizinhos. A água não é boa e serve apenas pra dar uma enganada na sujeira das louças. Mas, o pior é ficar sem tomar banho. “A gente paga todo mês certinho. Só queremos um serviço de qualidade”, bufa.

Seu Hans John, 54, também é morador do Gravatá e tá há três dias na secura. “Eu queria alugar a minha casa pra veranistas mas não consegui. Teve gente que alugou casa pra 30 dias, mas já tá indo embora”, lasca, lamentando o preju. Hans foi no DAE e disse que lá os atendentes só deram desculpas meia boca.

Algumas baias e comércios do centrão dengo-dengo, inclusive a sucursal do DIARINHO, que fica na avenida José Juvenal Mafra, também ficaram sem água na tarde de ontem. O fornecimento somente voltou ao normal lá pelas 17h30.

O outro lado

No dia 24 o DIARINHO publicou matéria sobre o assunto. Na ocasião, Sandra Demétrio Santiago, diretora do DAE, contou que no dia 22 uma bomba de água que abastece o Gravatá quebrou mas que o problema tinha sido resolvido. Disse ainda que um abastecimento eficaz esbarra na falta de captação própria em Navega. “Dependemos da água de Itajaí. Se eles não mandam o suficiente, não temos como enviar. Nós não temos como abastecer o segundo piso em diante porque não tem pressão”, contou a chefona do DAE.

O DIARINHO tentou convesar com a bagrona do DAE na tarde de ontem, mas, ela estava em uma reunião do bairro Porto Escalvados e não levou o celular, informou um funcionário do departamento de água.

  •  

Deixe uma Resposta