• Postado por Tiago

Dois irmãos semnoção que tavam ameaçando os indiozinhos da aldeia Cambirella, na Palhoça, ganharam ontem o teje preso dos homis da puliça Federal. Os caras são acusados de terem ameaçado os indígenas com berros, facões, pedras e até de terem botado fogo em duas casinhas da aldeia, tudo por conta de uma briga pela posse de terras.

Ilson Campos e Gilberto Wilson Campos, que moram na praia Comprida, tão aprontando pra cima dos índios há alguns anos. Eles comandam um bando que diz ser dono da área que tá sendo demarcada como reserva indígena e usam a violência pra tentar convencer os indiozinhos a desistirem das terras.

Os manos já tentaram espantar os índios usando facões, paus e pedras, e como viram que não tava dando resultado, apelaram até pra trabucos. Eles são tão sem-coração que há pouco tempo tacaram fogo em duas casinhas da comunidade indígena. As baiuquinhas foram destruídas pelas labaredas.

Diante de tanta crueldade, a juíza Ana Cristina Kramer, da 1ª Vara Federal da capital manezinha, mandou botar o Ilson e o Gilberto Wilson atrás das grades. Os federas pintaram nas baias deles na manhã de ontem, com os pedinchos de prisão na mão e com autorização pra darem bizolhadas.

Dentro das casas dos mulambentos foi achada uma garrucha, um tipo de revólver do tempo do vovô, um facão e munição pra berros de calibre 36. Os maninhos vão responder por coação, ameaça e por serem incendiários.

  •  

Deixe uma Resposta