• Postado por Tiago

Seu José não pode trabalhar e família tá passando fome

Mesmo depois de receber ajuda e alimentos do povão de coração bondoso, a dona de casa Kátia Regina Silva, 40 anos, moradora do Promorar, em Itajaí, continua desesperada. É que o único provedor da família é o pai de Kátia, o pintor José Costa, 56 anos, que quebrou a clavícula num acidente de moto e agora não consegue marcar uma cirurgia para poder voltar a trabalhar. O drama da família já se estende há três meses. Kátia diz que o pessoal do posto de atendimento médico (PAM), que fica na rua Felipe Schmitt, centro de Itajaí, mandou de volta a papelada que Kátia já tinha encaminhado e disse que a fila de espera para esse tipo de operação é grande. ?Agora eles não têm nem uma data?, lamenta a mulher.

Kátia, a filhota de quatro anos e José já foram notícia no DIARINHO três vezes. A dona de casa tem artrite reumatóide, uma doença crônica que lhe pegou as pernas e as mãos. Por conta do mal, ela tá há 22 anos sem poder trabalhar fora. A família deposita as esperanças na recuperação do pintor, que sofreu um acidente de moto no início de setembro e quebrou a clavícula. Como seu José não contribuía para a Previdência Social, não conseguiu sincostar pelo INSS.

A cirurgia

Para ficar bonzinho, o pintor precisa fazer uma cirurgia.

A dona de casa voltou a procurar o DIARINHO pra dizer que recebeu de volta toda a papelada do pai que havia encaminhado ao PMA. Junto com os papéis, veio a triste notícia: a fila de espera pra esse tipo de operação tá gigante, com mais de 600 pacientes e seu José não será operado tão cedo.

Fim do sofrimento e

volta ao trabalho

Kátia diz que tem recebido um pouco de ajuda do povão solidário e que está agradecida por isso. Mas ressalta que não pode continuar pra sempre sendo ajudada. ?Agora tô até precisando de alimento pra minha filha de quatro anos, mas o que a gente quer é que meu pai faça a operação, pra parar de sofrer e poder voltar a trabalhar?, disse ao DIARINHO.

A família mora na rua Minelvino Gonçalves, uma transversal da avenida Ministro Luis Galotti, o Promorar II, no bairro Cidade Nova. O telefone de Kátia é 9605-3985

Não tá nem na lista de espera

Tânia Vieira, gerente do PAM, procurou no sistema o nome de seu José, mas não encontrou o homem na lista de espera pra operações no ombro. Tânia sugere que Kátia a procure pessoalmente no posto de atendimento pra ver em que pé anda o caso de seu José.

  •  

Deixe uma Resposta