• Postado por Tiago

INTERNA_5_abre_assassinato-luciano-ferreira-mamica_foto-joão-souza-(3)

Cinco tiros à queima-roupa mataram o bandidão

O tempo foi curto. Dois dias depois de ter sido preso como suspeito de assassinar o empresário Aldinho Fronza no mês passado, Luciano Ferreira, 34 anos, o conhecido Mamica, foi morto com cinco tiros à queima-roupa. A polícia militar acredita que a morte foi um acerto de contas. Mamica teria entregado o dimenor Craca como autor do assassinato de Aldinho e por isso pagou alto o preço da caguetagem.

O crime rolou na rua Xaxim, loteamento Rio Bonito, em Itajaí. Ao meio dia de ontem Mamica estava em casa quando dois homens de ziquinha o chamaram. Só foi botar a cara pra fora pra levar chumbo. A saraivada de tiros matou o bandido na hora. Os pistoleiros fugiram e até o fechamento desta edição na haviam sido localizados pela polícia.

A PM trabalha com a hipótese de acerto de contas. Na segunda-feira Mamica foi preso como suspeito de ter assassinado o empresário Aldinho Fronza. O empresário morreu durante um assalto na noite de oito de maio, na praia dos Amores, entre Itajaí e Balneário Camboriú. Quando foi prestar depoimento, o bandido teria jogado toda responsa pra cima de seu comparsa, o dimenor Craca, que tá preso no Cip depois de ter sido reconhecido pela namorada de Aldinho. A PM acredita que o bandido-mirim não gostou da caguetagem e mandou dar fim no Mamica.

Mais sujo que pau de galinheiro

A ficha de Mamica era mais suja do que pau de galinheiro. Além de traficar e estar supostamente envolvido no assassinato do empresário Aldinho Fronza, o traste já esteve três vezes na depê por bater na mulher.

  •  

Deixe uma Resposta