• Postado por Tiago

PAGINA-9-ABRE-g---angioletti

Foto: Angioletti: ?Foi enviado pra polícia militar da mesma forma que pra outros órgãos?

O comando da polícia militar não deu as caras na audiência pública que rolou na câmara de vereadores pra discutir a criação da guarda municipal de Balneário Camboriú. A comunicação da PM alega que não recebeu convite oficial da casa da povo e essa seria a causa do beicinho. Mas o vereador Orlando Angioletti (DEM), que coordenou o blablablá, garantiu que deu o recado. ?Foi enviado pra polícia militar da mesma forma que pra outros órgãos?, lascou.

O falatório rolou na noite de quarta-feira e contou com a presença de uma renca de otoridades. Além do prefeito Edson Periquito (PMDB), cercado por seus abobrões, e da polícia civil da city, o secretário de segurança de Itajaí, Carlos Ely, e representantes das guardas municipais da capital manezinha e de Curitiba, Foz do Iguaçu e São José dos Pinhais, no Paraná, também apareceram pra dar seus pitacos.

Questionado sobre o balão que a PM deu no evento, o mandachuva da comunicação do 12º batalhão na Maravilha do Atlântico, capitão Ronaldo de Oliveira, disse que o comandante Cláudio Roberto Koglin decidiu não aparecer porque não ganhou um convitinho formal. ?Não encaminharam convite nem pro batalhão, nem pro comando da 3ª região O que recebemos foi um telefonema informal do vereador Angioletti na noite anterior, informando sobre a reunião?, disse.

Mas Angioletti, que é presidente da comissão de segurança na casa do povo e tava responsável por avisar sobre a realização da audiência pública, garante que o convite foi enviado. ?Enviamos na sexta-feira da semana passada, mas estamos com problemas nos Correios, por conta da greve. Por isso reforcei o convite por telefone?, afirma. Ele diz que da mesma forma que ligou pra PM, ligou pra todas as otoridades que tavam presentes. ?Todos compareceram, com exceção da polícia militar?, cutucou.

Angioletti diz que vai entrar em contato com a PM novamente, pra que o comando se manifeste sobre a guarda. ?Gostaríamos de ter ouvido qual a posição deles. Vamos mandar um ofício, caso queiram se manifestar?, avisou.

Mais pra lá que pra cá

A maior parte do povão que compareceu à audiência se manifestou a favor da criação da guarda. Os vereadores, então, deram uma de maria-vai-com-as-outras e adiantaram que vão aprovar o projeto. ?Sentimos o que pensa a sociedade?, disse Angioletti.

O vereador comentou que os coleguinhas devem fazer algumas emendas à proposta. ?No projeto consta a atuação da guarda como polícia ambiental, e o tribunal de justiça já se manifestou contra isso. Também queremos pensar sobre a criação de um cargo na secretaria de segurança pro Conseg (conselho de segurança). Temos que saber se isso é interessante pra entidade?, contou o democrata.

A surpresa da noite ficou por conta da postura mais que política do prefeito-ave. Periquito fechou o conversê reconhecendo que o projeto precisa de alguns ajustes. Pra completar, disse que deixaria os vereadores à vontade pra dar pitacos na proposta e prometeu que não vai rejeitar as mudanças.

  •  

Deixe uma Resposta