• Postado por Tiago

Depois de não terem dado as caras na audiência pública que discutiu a criação da guarda municipal em Balneário Camboriú, porque não receberam convite formal da câmara de vereadores, os policiais militares da city agora resolveram se manifestar sobre o assunto. O comando do 12º batalhão da PM mandou avisar que tá de portas abertas pra receber os novos guardinhas e até se ofereceu pra treinar o pessoal antes que eles vão pras ruas. Os mandachuvas também tão estudando o projeto da guarda e vão sugerir algumas alterações.

A ideia da polícia militar é bolar um curso de formação bem parecido com o que foi oferecido pra uma turma de 60 novos soldados que estrearam este ano. O capo da comunicação da PM na Maravilha do Atlântico, capitão Ronaldo de Oliveira, acredita que é melhor formar os guardinhas por aqui pra que eles já estejam bem familiarizados com o serviço antes de começarem a trampar. “Eles precisam da convivência com a polícia militar pra que aconteça um trabalho em parceria”, comentou.

Pra isso, o batalhão deixou à disposição da prefa as instalações físicas, instrutores, e fez proposta de parceria com outros órgãos. “Podemos trazer um delegado, um juiz, um promotor pra falar pros agentes, com é feito no nosso curso de formação”, contou o capitão.

Ele acredita que o curso deve durar entre três e quatro meses, metade do tempo que é exigido pra formação de um soldado. “Dá pra formar eles muito bem, em regime de semi-internato”, disse o capitão Ronaldo.

Questionado se a atuação dos novos guardas não vai bater de frente com o trabalho da PM, a resposta do mandachuva é não. “Não temos essa preocupação, porque temos certeza de que o prefeito (Edson Periquito – PMDB) vai agir de acordo com a legalidade e jamais criaria uma guarda de função pública, com poder de polícia”, afirmou o capitão. Por lei, a guarda municipal tem atuação limitada aos prédios e bens públicos, como escolas e praças.

  •  

Deixe uma Resposta