• Postado por Tiago

A polícia Civil encontrou dois dos carros usados pela quadrilha que fez a gerente do Besc de Bombinhas refém por 14 horas, entre segunda e terça-feira, e fugiu levando R$ 200 mil do banco. Dentro dos possantes foi achado o computador em que tavam gravadas as imagens do circuito interno da agência, o celular de uma das vítimas e um revólver calibre 38. Os homisdalei acreditam que os bandidos tenham trocado de carro na hora da fuga, pra não deixar rastros.

Os dois possantes foram achados na calada da noite de terça-feira, quando os tiras faziam buscas pela city atrás de pistas que pudessem levar ao bando. O Mégane, placa ANW 2329 (Curitiba/PR), que aparecia nas imagens flagradas pelas câmeras espalhadas pelas city durante o assalto, tinha sido largado na quadra da prefa de Bombinhas, bem pertinho do banco.

Dentro do carro tavam algumas peças de roupas, uma touca tipo ninja, e o berro calibre 38 que pertence ao marido da gerente, Maria Sueli Hoffmann. O revólver tinha sido levado de dentro da casa, onde ela e a família ficaram sob a mira dos bandidos por 14 longas horas.

Largado com a chave dentro

Pouco tempo depois, os policiais que davam bizolhadas pelo bairro de Bombas acharam a Eco Sport, placa APM-0419 (Curitiba/PR), abandonada numa rua, com a chave na ignição. Apesar do carango não ter aparecido nas imagens, os policiais ficaram desconfiados e fizeram uma consulta pra tentar descobrir se tinha alguma coisa errada com o possante.

O carro era financiado no nome de um laranja, que nunca pagou as prestações. Os tiras deram um bizu no lado de dentro, e acabaram achando um telefone celular que pertencia a uma das vítimas, e o computador que tinha sido levado pelos assaltantes, onde tavam gravadas as imagens do circuito interno do banco.

Todo o material foi encaminhado, ontem, pro instituto Geral de Perícias (IGP) em Floripa. O delegado André Manoel de Oliveira Filho, que comanda as investigações, disse que os peritos vão verificar se ainda é possível recuperar as imagens.

Dos outros carros, que também estariam envolvidos no assalto, um Renault Clio preto e um Ford Fusion, placa MDZ 1343, não foram achados nem sinal. Os tiras acreditam que os carangos ainda possam estar com a quadrilha, que deve ter deitado o cabelo assim que botou a mão na grana.

O delegado comentou que a polícia já recebeu algumas informações do povão sobre os bandidos. “Todas as denúncias que chegam tão sendo verificadas”, garantiu. Quem tiver alguma pista que possa levar ao paradeiro do bando pode telefonar pro disque-denúncia, 181, ou pra central de Investigações, em Balneário Camboriú, no (47) 3264-6614.

  •  

Deixe uma Resposta