• Postado por Tiago

A polícia indiciou o casal João José da Silva e Maria Ferreira da Silva. Os dois são acusados de surrar Isolina Firmiana da Silva, de 94 anos. O crime que rolou em Floripa e foi denunciado pela Ric/Record.

A aposentada prestou depoimento na segunda-feira na delegacia da mulher, onde confirmou as agressões. Segundo a delegada Sandra Mara Pereira, o filho e a nora de Isolina prestaram depoimentos na quarta-feira e negaram a agressão que foi registrada em vídeo e confirmada por depoimentos de testemunhas.

Desde que foi descoberta a crueldade, a aposentada foi retirada da casa do único filho por uma equipe do Centro de Integrado de Atenção e Prevenção à Violência Contra o Idoso (Ciaprevi), da secretaria de Assistência Social de Florianópolis.

Em 15 dias, a delegada recebe o laudo do IML manezinho, que deve comprovar o estado em que a mulher foi resgatada do cativeiro onde era tratada pior do que um bicho.

Isolina foi incluída no programa municipal que lhe garantirá apoio enquanto é analisada a possibilidade de ela ser acolhida por uma família, já que a coitadinha não tem mais ninguém nesta vida.

A prefeitura tá oferecendo abrigo, alimentação e uma pessoa para cuidar dela pelo tempo que for necessário. A vozinha recebe aposentadoria de um salário mínimo, mas o advogado Nélson Rabelo Filho vai pedir à justiça que o filho pague uma pensão à mãe.

Crueldade

A delegada Sandra Mara explicou que Maria Ferreira da Silva agredia a vozinha diariamente e também ficava com a grana da aposentadoria dela.

A pena pra quem humilha ou agride fisicamente um idoso é de um ano de prisão. Pode aumentar se o acusado for o responsável pela vítima. O estatuto do idoso prevê também pena de seis meses a um ano e multa a quem deixa de prestar assistência aos velhinhos em caso de maus tratos. “Quem não denuncia também participa do crime”, esclarece Albertina Sousa Vieira, assistente social do Ciaprevi.

  •  

Deixe uma Resposta