• Postado por Tiago

A Polícia Civil de Barra Velha nem precisou ir muito longe para descobrir o assassino de Salim Ribeiro, 34 anos, morto na madrugada do último sábado, na saída de um bailão no bairro São Cristóvão. Foram dois tiras da própria delegacia que meteram cinco balaços na perna da vítima. Uma das azeitonas acertou na veia e causou uma hemorragia no cara.

A justificativa da polícia civil é de que o morto sabia que sua vida de ladrãozinho tava sendo investigada e aproveitou a night animada para invocar com os tiras, que revidaram na bala as provocações. Salim, que já tinha ficha por furto, chegou a ser levado com vida para o hospital, mas morreu devido a perda exagerada de sangue.

A treta rolou por volta das quatro da matina de sábado, em frente ao Salão do Adriano. Salim cruzou com os tiras na festa e entre uma dança e outra, aproveitava para mexer com os policiais, chegando até a bater fotos dos caras. O dono da bodega contou ao delegado Marcos Aurélio Marcucci, responsável pelo caso, que viu o mequetrefe ameaçando de morte os policiais civis.

Na saída do bailão, Salim voltou a provocar os tiras e foi aí que ele sideumal. Após uma discussão, um dos homis sacou uma arma e meteu bala no cara, que teve a perna peneirada. A vítima foi atendida pelos vermelinhos da city, mas partiu pro além em seguida.

O delegado confirmou que a ficha de Salim tava mais suja que pau de galinheiro. Ele tava sendo investigado por furto de joias e já tinhas outras passagens na depê pelo mesmo tipo de crime, além de um mandado de busca e apreensão em aberto.

  •  

Deixe uma Resposta