• Postado por Tiago

Um comerciante do bairro peixeiro São Judas ganhou um teje preso ontem à tarde, depois de ter sido flagrado pela polícia militar vendendo cerol pra pirralhada. O cara teve um plá com os homisdalei e vai siver (em liberdade) com a dona justa.

O comércio da cola assassina tava rolando na mó caruda numa lojinha que vende pipas na rua Indaial, há alguns dias. Bizolhudos de plantão avisaram a treta à polícia militar, que pintou na área ontem à tarde.

Os fardados flagraram o comerciante, que não teve seu nome divulgado, com uma renca de embalagens de cerol mocosadas numa sacola plástica. Eram 21 frascos grandes, que o cara passava pra petizada por dois pilas, e oito pequenos, que saíam por um real cada.

O sem-noção foi levado pra 2ª depê e admitiu pros tiras que andava vendendo a colinha assassina. Ele disse que é funcionário da loja, e garantiu que o patrão não sabia que andava tirando um dinheirinho por fora com a venda do cerol.

Como a mistura de cola e cacos de vidro é proibida por lei na Santa&Bela, o tanso foi enquadrado pela venda de mercadoria ilegal.

É perigoso

O cerol é proibido em terras catarinas desde 2003. Os maiores riscos são o de levar um choque, se a linha afiada cortar a fiação elétrica, e acidentes com motoqueiros, que não conseguem ver o cerol e podem ter o pescoço cortado.

  •  

Deixe uma Resposta