• Postado por Tiago

Toda essa porcariada era usada pra fazer a droga render mais

A polícia Federal de Itajaí conseguiu por fim em um laboratório de drogas que funcionava na buena em Balneário Piçarras. Na casa foram apreendidos 28 quilos de drogas, entre maconha e cocaína, uma montoeira de produtos pra fazer o batismo da porcariada e R$ 42 mil guardados num armário. Os federas informaram que a droga encontrada tava avaliada em R$ 420 mil reales.

Os policiais receberam uma denúncia de que na casa 41 da rua 1005, nas Piçarras, tava rolando um verdadeiro laboratório do crime. No local, o casal Davi Weiss, 36 anos, e Ângela Laurentino, 37, batizavam as drogas e também revendiam pros distribuidores da região.

Durante um dia, os PFs acompanharam toda a movimentação da baia ? que não era pouca – e, ontem de manhã, com um mandado de busca e apreensão em mãos, resolveram agir. A casa foi estourada e o laboratório de porcaria foi descoberto. No local foram apreendidos 27 tabletes de crack e cocaína ? pesando um quilo cada -, mais um quilo da droga solta, balanças de precisão, diversos aparelhos celulares, fitas adesivas, balões, ferramentas, produtos químicos usados pra batizar as drogas e uma quantia aproximada de 42 mil reales guardados dentro de um armário. Também foi encontrada uma pistola israelense calibre 9 mm, com dois carregadores, uma caixa de munições cheia e uma espingarda CBC calibre 22, com luneta.

O Gol, placa MCG 7411 (Joinville), usado pra transportar as drogas pros traficantes, também foi apreendido. Com tanta nojeirada guentada, Ângela e Davi nem tiveram o que falar, receberam as algemas e foram levados direto pra sede da PF, em Itajaí, onde permanecem enjaulados até pintar uma vaga nos cadeiões da região.

Os vizinhos contaram aos federas que o casal morava ali há três anos, mas que ninguém desconfiava de nada. Os moradores da rua não se ligaram na safadeza, porque o casal, esperto que só, usava uma edícula nos fundos do quintal pra fazer a misturada da porcaria.

Investigação continua

O delegado José Dinarte de Castro Silveira conta que as investigações continuam pra tentar descobrir se um casal preso com , na noite de segunda-feira, em Itapema, tinha ligação com o laboratório do crime nas Piçarras. O dotô também adiantou que, se o casal for condenado, pode pegar de cinco a 15 anos de prisão por tráfico de drogas.

Ângela inaugurou sua ficha criminal. Já Davi já tinha passagem pela polícia por porte ilegal de arma pela cidade de Blumenau. A PF também informou que se os 28 quilos de drogas fossem batizados e vendidos, renderiam pro casal de traficantes R$ 420 mil. É mole?

  •  

Deixe uma Resposta