• Postado por Tiago

apreensao-230-quilos-de-maconha-joinville.jpg

Dupla foi preso com 230 quilos de erva que passarinho não come

O comércio de porcarias levou um baita desfalque ontem na região. Ao todo, 247 quilos de maconha foram apreendidos em ações da polícia Militar e da polícia Civil. A grande maioria tava mocosada numa baia em Joinville. O restante da droga tava com um casal de traficas de Itapema, que usava um boteco como fachada pra abastecer os viciados. Quatro pessoas foram em cana.

Em Itapema, a polícia Militar recebeu a informação de que um bar na rua 446, no bairro Morretes, tinha virado ponto de encontro do pessoal que é chegado num baseado. Os milicos pediram uma mãozinha dos homis do pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) de Balneário Camboriú, e pintaram na área pra conferir a história bem de perto.

Não demorou muito pros meganhas terem certeza de que a boca era quente. Eles ficaram de butuca à esperara do dono do bar, Luiz Carlos de Souza, 54 anos, e assim que o cara apareceu, num Fiat Palio cinza, com placas de Tijucas, deram o atraque.

O possante foi revistado, e os milicos acharam dois torrões de erva do demonho embaixo do banco. Os policiais resolveram então dar uma bizolhada no boteco do traficante, que tava sob os cuidados da mulher dele, Delair Antônia Macarini, 38, e deram de cara com 24 buchinhas recheadas de marofa, prontas pra venda, escondidas atrás de uma caixa de cerveja.

Desconfiados de que o negócio que Luiz Carlos comandava era ainda maior, os fardados subiram no segundo piso do bar, onde mora o casal, e botaram as mãos em mais uns tijolos da droga, que tavam mocosados embaixo de uma lajota solta.

Toda a porcariada encontrada com o casal somou 17 quilos. Os pombinhos foram levados pra depê, e enquadrados por tráfico pelo delegado Etelino Pedro Steil. Eles vão curtir uma temporada no xilindró.

Baita carregamento

Em Joinville, uma ação conjunta entre o ministério Público, a PM e os tiras da polícia Civil resultou na apreensão de 230 quilos de erva que passarinho não come. O atraque rolou por conta de uma investigação que tava rolando há alguns meses, coordenada pelo MP. A puliça acredita que a droga seria distribuída por toda a Santa & Bela.

A porcaria tava escondida numa baia da rua Manoel José da Silva, no bairro Profipo. Jonas Fernandes Alves, 27, que tava tomando conta da droga, ganhou o teje preso.

Os policiais partiram então atrás de Valdemar Rodrigues Padilha, 46, que alugava a casa onde tava a porcariada. O traste foi achado em sua baia, e também ganhou pulseirinhas de aço. A suspeita é que o filho dele, Valdemir José Rodrigues Padilha, 24, que tá guardado no presídio de Joinville, por tráfico, também participava do esquema.

  •  

Deixe uma Resposta