• Postado por Tiago

O delegado Marco Aurélio Marcucci, da polícia civil de Barra Velha, terminou ontem o inquérito que investigava falcatruas no pátio de carros apreendidos da cidade. Depois de ouvir 10 pessoas sobre todo o rolo, o dotô resolveu indiciar o ex-prefeito Valter Zimmermann (PP), o atual secretário de obras, Dalete Vieira (PMDB), e a esposa do secretário, Ângela Maria Borges. O ex-prefeito pode ser processado por sacanagem na licitação e os outros dois por sonegação fiscal. Toda a papelada do inquérito será entrega à câmara de vereadores e ao ministério público em 15 dias.

A investigação começou depois de uma denúncia de uma pessoa que teve a caranga apreendida neste ano. Quando foi buscar o veículo, o cara pediu uma nota fiscal, mas Ângela Maria Borges, que administra o pátio, se negou a entregar. O cabra ficou encucado e procurou o ministério público (MP). Logo depois, Ângela emitiu a nota fiscal de uma empresa que leva seu nome e que é, na verdade, uma oficina mecânica que ela possui na cidade. Depois disso, o MP pediu à polícia civil que investigasse o que tava rolando.

O pátio de carangas apreendidas deveria ser administrado por uma empresa concessionária que deveria ser escolhida num processo de licitação. Em 2005 o povão começou a pressionar a prefa pra ter um pátio e o então prefeito Valter Zimmermann, através de um decreto, entregou a boquinha pra empresa Guincho Trevo limitada. No mesmo ano, o prefeito revogou o decreto e passou a gestão do pátio à Colibave. Mais cinco decretos foram caneteados, prorrogando a concessão para a Colibave até o dia 20 de fevereiro de 2007. Desde então, o pátio funciona sem qualquer legislação que o regulamente.

Segundo o delegado responsável pelo inquérito, a Colibave é uma empresa de fachada para que Dalete Vieira, secretário de obras de Barra Velha e marido de Ângela, possa faturar uma graninha por ali. A Colibave existe, só que atua no ramo de fabricação de cimento.

O que dizem os envolvidos?

Em depoimento na delegacia, Ângela explicou que estabeleceu a taxa do pátio com base em pesquisa que fez na região. Contou que cobra a diária de R$ 15 e atualmente tá com uns 200 veículos no pátio. A muié ainda não tem qualquer registro financeiro da empresa. Ou seja, o lucro dela e o prejú que a comunidade teve com a suposta sacanagem não dá pra ser contabilizado.

O ex-prefeito disse ao delegado que assinou os decretos sem saber da treta e, como tinha muita coisa a fazer, confiou no departamento jurídico da prefa. O procurador da época, James Márcio Gomes, fez boquinha de siri e não ajudou na investigação. Já Dalete Vieira jogou merda no ventilador, dizendo que os decretos são uma mentira, assinados só pra formalizar um acordo que já havia sido feito de boca com a administração. Já Ângela contou que só administrava o pátio à pedido do marido.

Valter Zimermann é acusado de ter praticado crime de licitação, pois não abriu um processo licitatório para a administração do pátio. Dalete e Ângela vão responder por se aproveitar desta situação e ainda por sonegação fiscal. O delegado comenta que daqui a 15 dias a documentação dos indiciamentos estará na câmara de vereadores nas mãos da promotora Luciana Filomeno para dar sequência no processo.

O delegado de Barra Velha pediu a atual administração os documentos do pátio e ouviu a procuradoria jurídica. Marcucci afirma que os dotôres da prefa admitiram a mancada do antigo governo e disseram que vão resolver a treta o mais breve possível, já que o pátio continua funcionando ilegalmente. Segundo Marcucci, o atual prefeito pode entrar na investigação caso não tome providências.

  •  

Deixe uma Resposta