• Postado por Tiago

ABRE-INTERNA-POLÍCIA-PÁGINA-SETE---ARQUIVO-FELIPE-VTsequestro-itapema---sequestrador-pedro-Thais-oviler-cardoso---foto-felipe-vt-11-(4)

Malacos não chegaram a meter a mão na grana do sequestro

A equipe que investiga o sequestro do estudante Alcino Pasqualotto, 22 anos, identificou mais dois envolvidos no crime. Os trastes tão no Paraná e na mira pra ganhar o teje preso. No final da tarde de segunda-feira, Alcino caiu numa emboscada armada por um amigo e foi feito refém. Ele só foi solto quando sua família desembolsou R$ 500 mil e 75 mil doletas pelo resgate, 28 horas depois. Toda a grana foi recuperada pela polícia e três suspeitos ganharam vaga na jaula. Um deles foi liberado por falta de provas.

Ontem, os homisdalei conseguiram que a dona justa pedisse a prisão de Flávia Adriana Ferreira Lindner. A guria, que vive em Cascavel, no Paraná, é muié de Estevão Mariotto, que foi guentado quando chegava à city paranaense com toda a dinheirama do resgate.

Foram telefonemas, também, que incriminaram Flávia. Numa das conversas, ela dá a entender que sabia do sequestro, e completa o blablablá revelando que Estevão é chegado numa porcaria. ?Eu tô achando que ele parou em Curitiba pegar droga pra tocar direto, pegar umas pedra pra fumar porque tira o sono?, disse a mulé. A doida ainda não foi encontrada pelos tiras.

A polícia também descobriu que a pessoa com quem ela conversa ao telefone, um homem de nome Adílio, é funcionário da empresa de Estevão. O cara foi o carcereiro, que ficou de zóio em Alcino durante todo o sequestro.

Os homis ainda precisam descobrir o nome completo do cara, e o de um outro comparsa, pra pedi-los na dona justa. O delegado Carlos Dirceu, de Itapema, tá no Paraná pra cuidar dos detalhes da investigação por lá.

Foi solto

Rodrigo Costa Negreira, 21, preso em Itajaí na manhã de quarta-feira, foi liberado durante a madrugada de ontem por falta de provas. O cara tinha sido citado no depoimento de Estevão à puliça do Paraná como o mandante do crime. Mas os homis não encontraram nada que confirmasse sua participação e ele tá livre, leve e solto.

Já o amigão de Alcino, Pedro Thais Oviler Cardoso, 30, tá mais sujo que pau de galinheiro. Foi ele quem atraiu o rapaz pra sua casa, onde Alcino levou o bote dos bandidos. O traste não quis responder as perguntas dos tiras e diz que só vai se manifestar na dona justa. Mas os homis não têm dúvidas de seu envolvimento na treta.

Bate Papo

Trechos de conversa telefônica entre Flávia e o carcereiro do sequestro, na manhã de quarta-feira. Eles tavam preocupados com a falta de notícias de Estevão, que a essas alturas já tava engaiolado pela polícia.

Adílio ? Já pensou ele ficar rodando com aquele tanto de dinheiro que ele tem, meu?

Flávia ? Porque, era o seguinte, três e meia ele mandou uma mensagem, ?cinco horas eu to aí?, tá. Então ele deve tá aqui perto, tá.

A ? Uhum.

F ? Só se deu um sono muito grande nele, entendeu. Porque eu tô achando que ele parou em Curitiba pegar droga pra tocar direto, pegar umas pedra pra fumar porque tira o sono né, o cara fuma droga, pedra, cinco dias e não dorme né, tu sabe.

A ? Ahã. Pode ser, só que…

F ? Só se ele chegou aqui em Cascavel, né, na fissura, foi pegar mais, foi prum motel, sei lá, eu acredito que seja isso.

A ? É pode ser, cheganós vê o que nós faz.

F ? Mas cagada não deu né, você acha? Tá tudo sossegado.

A ? Mas maravilha do mundo, melhor maravilha do mundo. Fácil, fácil, fácil

F ? Mas eu já tô preocupada, entendeu?

A ? Não, vixi, pode ficar tranquila, sem preocupação, ele ligou pra mim uma hora da manhã e falou ?cara, eu tô muito longe, tô sossegado, tranquilo?. Ligou pra mim era uma e 15 da manhã.

F ? Tá, mas ele me ligou três e meia Adílio, mandou uma mensagem ?cinco hora eu to aí?.

A ? Então?

F ? Ah, não sei Adílio, só se ele chegou em Cascavel e falou ?vou fumar uma pedrinha pra mim tocar o dia inteiro, tenho muita coisa pra fazer, entendeu? Daí se perdeu.

A ? Ó, vou falar o seguinte pra você. Três e meia da manhã ele já tava em Cascavel.

F ? Ah, então meu filho, f**. Então tá usando droga em algum lugar.

  •  

Deixe uma Resposta