• Postado por Tiago

Dimenores tavam maquinados com três revólveres e muita munição

A força-tarefa montada pela polícia Civil pra dar um basta na bandidagem em Navega guentou na madrugada de ontem dois dimenores integrantes de uma quadrilha que comanda o tráfico de drogas no bairro São Paulo. Durante o atraque rolou até troca de tiros e um policial sissafou de um balaço no ombro graças ao colete à prova de balas. Os mequetrefes só se entregaram depois de tomar uma azeitonada na perna. Os tiras tão atrás agora de Gilberto de Carvalho, conhecido por Nego da Fia, chefão das bocas da distribuição de porcarias do bairro.

A dupla também é suspeita de mandar Douglas Felipe dos Santos, 14 anos, e Ivan Ferreira Balduino, 17, comer capim pela raiz na rua Francisco de Paula Seara, no bairro São Paulo no dia 26 de outubro.

Os policiais da força-tarefa começaram a derrubar a quadrilha de Gilberto quando botaram o par de algemas em Jackson Moreira da Silva, 23 anos, no bairro Imaruí, em Itajaí, sexta-feira passada. Na madrugada de ontem, perto das 2h, os tiras saíram à caça de Nego da Fia, no ponto de tráfico da rua José Frederico de Souza, no São Paulo.

Quando chegavam à baia os policiais encontram M.S., e L.D.L.S., ambos de 17 anos. Os bandidinhos ficaram abaixados no quintal esperando sissafar das algemas. Quando os tiras meteram as fuças sobre o muro, foram recebidos à bala pelos fujões. M. tava maquinado com dois trabucos, enquanto o comparsa tinha apenas um revólver.

Os malacabados meteram o dedo no gatilho, mandaram duas azeitonas em direção aos policiais, que pararam no colete à prova de balas do chefe da força-tarefa, o tira do COP de Itajaí, Manoel Alberto Silva, o Maneco. Os policiais abriram fogo contra os dimenores, que só sossegaram depois tomar um tirambaço na perna. Com os vadios foram encontrados três revólveres, 23 munições variadas, quatro pedras do demo e 104 reales. Os garotões foram levados pra depê dengo-dengo e tão na mão da dona justa, que vai decidir onde eles vão ficar.

Dando resultado

De acordo com Maneco, a prisão mostra que a força-tarefa tá dando resultado. Ele conta que, além das prisões por tráfico de drogas da quadrilha do Gilberto, os tiras já guentaram marido batendo na muié, falsificação de dvds e até venda de remédio proibido em lanchonete. A força-tarefa é formada por 10 policiais na parte operacional e mais cinco da diretoria de Inteligência da Polícia Civil, a Dipc, de Floripa. Pra dar jeito na city dengodengo foram convocados tiras de várias cidades, como Caçador, Chapecó e Joaçaba. A turma atua com uma delegacia móvel e deve ficar até fevereiro na terrinha, podendo continuar por mais tempo se for preciso.

  •  

Deixe uma Resposta