• Postado por Tiago

Carro foi encontrado abandonado à beira da estrada na Itaipava

Os milicos peixeiros engaiolaram ontem os menores D.S.D., 15, anos e M.R.S.L, 17, acusados de esfaquear o professor do colégio de Aplicação da Univali (CAU), Silvano Pedro Amaro, 29 anos. O professor foi encontrado caído, sangrando, numa estrada de chão, no interior de Piçarras, na manhã de ontem. A dupla foi presa na rua Aristides Pedroni, no bairro Itaipava, no final da tarde.

O carro do professor, tomado de assalto, foi encontrado escondido, próximo ao local onde os dimenores foram presos. A polícia chegou até à dupla depois que o pai de um dos malacos resolveu denunciá-lo. O garoto chegou em casa com a roupa suja de sangue e os documentos do professor.

Depois da crueldade, os menores o abandonaram e trouxeram o carro a pedido do dono de um ferro-velho. Os tiras trabalham com a hipótese de assalto, seguido de tentativa de assassinato.

Entenda o caso

O professor de português do colégio de Aplicação da Univali (CAU), Silvano Pedro Amaro, 29 anos, foi esfaqueado na madrugada de ontem, quando retornava pra casa. Os mequetrefes fugiram levando o carro do professor, um Prisma 2009, tomado de assalto em Itajaí. O coitado foi rendido pelos bandidos pouco depois de deixar o colégio estadual do Espinheiros, onde também trabalha.

A família de Silvano deu pelo desaparecimento do professor por volta das cinco horas da madrugada de ontem. Preocupada com o sumiço, a família tentou entrar em contato com Silvano, mas sem sucesso. Como não conseguiram falar com o professor, os familiares resolveram procurar a polícia para avisar do desaparecimento. Os parentes contaram à polícia que o professor tinha o costume de dar carona para os colegas de trabalho todas as noites, por isso costumava chegar mais tarde em casa.

Silvano só foi encontrado no começo da manhã de ontem, quando a polícia foi chamada para socorrer um homem encontrado na estrada do Tironi, no interior de Piçarras. Mesmo bastante ferido, o professor conseguiu contar que tinha sido vítima de um assalto. Silvano disse que foi rendido pela bandidagem em Itajaí, levado até o interior de Piçarras, onde os trastes o obrigaram a descer do carro e o esfaquearam.

O professor se fingiu de morto e passou a noite no mato, sem conseguir pedir socorro. Silvano foi levado pro hospital Marieta Konder Bornhausen, onde passou por cirurgia e permanece internado. A família afirma que o caso foi puro azar, pois o professor não tem vícios, é uma pessoa tranquila e se dá bem com todo mundo. Os amigos contaram que Silvano é uma pessoa religiosa, com uma atividade muito intensa na igreja católica do bairro São Vicente. O professor trabalha no CAU há cinco anos, mas ficou conhecido pelas participações em um programa da TV Univali, em que incorpora um guru e dá dicas de português.

  •  

Deixe uma Resposta