• Postado por Tiago

A mãe de quatro crianças pede ajuda pra ver seu ex-marido atrás das grades. Amauri Faustino da Mota, 45 anos, é acusado de ter abusado dos enteados, três meninas e um menino, no bairro Nova Esperança, em Balneário Camboriú. A dona justa já pediu a prisão do traste, que trampa como motorista na Casetex. Mas assim que soube que seus dias de liberdade tão contados, ele carcou pé da city e desapareceu.

A safadeza de Amauri foi descoberta há um mês, quando sua enteada mais velha abriu o jogo com uma vizinha. “Eu andava brigando muito porque ela não saía da rua, mas eu não imaginava que ela tava tentando fugir dele. Até que ela resolveu falar pra vizinha o que tava acontecendo”, conta Suzane Kaprinski da Silveira, ex-mulher do tarado.

Aquela não era a primeira vez que Amauri relava a mão na coitadinha. Ela relatou que o sem vergonha já vinha alisando suas partes íntimas há cinco anos, e há algum tempo passou a estuprá-la. Seu irmão, de 10 anos, também sofria abuso sexual. As irmãs mais novas, de oito e 11 anos, eram vítimas da mão-boba do padrasto nojento. Pra garantir que os pequenos não abrissem a boca, Amauri dizia que mataria a mãe deles e eles ficariam sozinhos no mundo.

Toda a sujeirada acontecia quando a mãe das crianças, que é comerciante, não tava em casa. “Ele é motorista e não tinha horário certo pra chegar. Eu imaginava que quando tavam com ele, meus filhos tavam bem cuidados”, conta Suzane.

Assim que ficou sabendo da judiaria, a mãe procurou o conselho tutelar, que conseguiu uma ordem da dona justa pra que Amauri saísse de casa. As crianças passaram por exames e depois também foram afastadas da mãe e levadas pra um abrigo, pra que ficassem longe do alcance das mãos do sem-vergonha. Eles tão recebendo atendimento do pessoal do programa Sentinela, que cuida de dimenores vítimas de abusos.

A prisão do nojento foi pedida há duas semanas. Suzane conta que o ex-marido andava dormindo no caminhão e só aceitava fazer carretos durante a madrugada, pra não correr o risco de ir parar atrás das grades. Na semana passada ele teria levado um frete pra Joinville, e de lá escafedeu-se. “Até onde eu sei ele teria pego uma carona pra fugir”, diz a ex-mulher.

Ela acredita que ele tenha ido parar em Bom Retiro, Lages ou Orleans, cidades onde têm parentes, e pede ajuda pra conseguir encontrar o vagabundo. “Tudo o que eu quero é que ele vá pra cadeia. Que as pessoas denunciem ele pra polícia”, pede Suzane. Enquanto o sem-vergonha não estiver no xilindró, seus filhos vão permanecer no abrigo. “Vejo eles todos os dias, mas não é a mesma coisa. Queria ter eles perto de mim”, desabafa a mãe.

  •  

Deixe uma Resposta