• 10 dez 2009
  • Postado por Tiago

3249-5910

reclamacao@diarinho.com.br

Quer saber onde anda uma figuraça da sua cidade? Pergunte que o DIARINHO vai atrás. Só não vale político.

O homem que fez a primeira cirurgia de troca de sexos no Brasil

INTERNA_12_por-onde-anda_dr-eliomar---timbuca_foto-felipe-vt

O polêmico doutor José Eliomar vive entocado em seu apê no centro de Itajaí

Ele fez a primeira cirurgia de transformação de sexo no Brasil, foi deputado estadual, brigou com as freirinhas do Marieta e até escreveu um livro. O polêmico doutor José Eliomar da Silva, o Timbuca, aos 86 anos admite que pendurou as chuteiras e curte a vida descansadamente em seu apê, no 14º andar do edifício Catarinense, no centro de Itajaí, entre leituras e a bela paisagem que tem da boca da barra.

Entre os retratos pendurados na parede do escritório onde Timbuca recebeu o DIARINHO, o destaque é a fotografia em que aparece ao lado de Ivo Pitangui, cirurgião plástico brasileiro de renome internacional. E não é por menos a amizade entre eles. Timbuca fez em Itajaí a primeira cirurgia de troca de sexo do país. ?Era uma moça hermafrodita que tinha como predominância o sexo masculino. Eu a transformei em homem?, relembra, mostrando a reportagem feita na década de 50 pela extinta revista semanal O Cruzeiro. ?Maura virou Mário? é o título da reportagem.

Timbuca chegou em Itajaí em 1953, dois anos depois de se formar no Rio de Janeiro. De nascença, ele é cearense. Trabalhou no antigo hospital Santa Beatriz e no hospital Marieta, onde chegou a ser diretor e a brigar com as freirinhas que tocam a instituição. ?Na década de 60 eu fui deputado estadual e presenciei muitos erros na parte interna do hospital. O que eu via, eu denunciava, inclusive para a imprensa. Isso tudo me rendeu alguns atritos com as irmãs?, recorda-se.

Ex-colunista do DIARINHO, Timbuca escreveu um livro. ?Coronel também chora? é o nome da obra, onde o dotô conta histórias vividas por ele e por seus conhecidos. No livro também comenta assuntos curiosos relacionados à medicina.

Quem foi aluno das escolas municipais na década de 70 do século passado certamente passou um dia no belo sítio que o doutor Eliomar mantinha na Canhanduba. O sítio, que tinha até piscina e era usado pela família do cirurgião como local de descanso, era liberado pelo médico pra ser usado pela alunada dos colégios públicos da cidade.

Aposentado há cinco anos, José Eliomar hoje é viúvo. Ele mora com um dos três filhos. ?Eu não exerço mais a profissão de médico, mas se fosse necessário eu faria uma cirurgia hoje. Cirurgia é igual andar de bicicleta, nunca se esquece?, faz questão de dizer ao final da entrevista.

  •  

Deixe uma Resposta