• Postado por Tiago

Leitor que aproveita os finais de semana pra caminhar no molhe da praia da Atalaia ficou dicara com o que viu durante o seu exercício matinal. Conta que viu um ambulante vendendo bebida e comida sem qualquer tipo de higiene. O pior da história é que o porcalhão comercializa os seus produtos numa boa, sem nenhum atraque da vigilância sanitária de Itajaí.

Diz o leitor que o ambulante monta uma casinha enjambrada na entrada do molhe e dentro coloca fogão, balcões, cobertas e até um cachorro. “Ele chega a ficar até dois dias acampado lá. Sempre nos finais de semana”, dedura.

Na barraca o ambulante produz parte dos alimentos que vende. Por lá não existe nenhuma torneira pra lavar as mãos ou ao menos baldes com água limpa. O atendimento, relata o frequentador do molhe, é feito pelo ambulante, que quase sempre tá sem camisa. “Isso é uma vergonha pras nossas praias. Cadê a vigilância sanitária, que não fiscaliza?”, questiona o peixeiro.

Não tava sabendo

Otília Pereira Duarte, fiscal sanitária peixeira, disse que nenhuma denúncia sobre o ambulante porcalhão chegou até à vigilância. Mas garantiu que a fiscalização nas praias tá sendo feita. “A gente olha uma série de itens. Desde a licença sanitária, até a maneira de manipular os alimentos”, afirma.

A fiscal reforçou a importância da participação do povão nas denúncias, já que nem sempre é possível identificar todos os ambulantes ilegais. Quem avistar algum porcalhão pelas praias peixeiras pode ligar pra vigilância sanitária pelos telefones 3249 5501 ou 3249 5520.

  •  

Deixe uma Resposta