• Postado por Tiago

O problema de médico relaxado escrever receita que ninguém entende é tão grave, que a agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) baixou uma portaria determinando que as folhinhas indicando remédios devam ser preenchidas de forma legível.

Anderson da Silva, fiscal sanitarista da secretaria de Saúde de Itajaí, informa que as denúncias podem ser feitas direto na vigilância sanitária da prefa. O pessoal da vigilância dá um pito no médico. Caso ele não tome jeito, o reclamo é passado pro conselho Regional de Medicina (CRM).

O médico Wilmar Gerent, conselheiro do CRM na Santa & Bela, disse ao DIARINHO que o dotô denunciado pela garrancheira leva um pito. “Eventualmente, poder resultar em um processo na comissão de ética”, afirma, completando: “Mas ninguém vai cassar um médico por causa disso”. É que, informa o conselheiro do CRM, não há punição prevista pra letra feia dos médicos.

  •  

Deixe uma Resposta