• Postado por Tiago

Dizem que a primeira vez a gente nunca esquece, e a da Associação Atlética Portuguesa foi a melhor possível. Sua estreia como time profissional rolou na noite de quinta-feira, num amistoso contra o Navegantes Esporte Clube. O primeiro clássico dengo-dengo da história teve vitória da Lusinha por 2 a 0, com gols de Felipe e Juninho Feijão. A partida rolou no estádio Bento Guilherme Pereira, o popular campo da Estiva, e a chuva atrapalhou um pouco a presença da galera, que foi em pequeno número prestigiar a Portuguesinha.

Os estreantes, que se preparam pra disputar a divisão de acesso do estadual, a Terceirona, não quiseram nem saber que o rival NEC está uma divisão acima, na especial, o popular Catarininha, e partiram pra cima. O técnico Luiz Santos montou um time compacto, com Valdinei, Cristian e Ruan parando bem as ofensivas do Nequinho. No meio o destaque foi Polegar, ex-Marcílio Dias, que deu o toque de qualidade à equipe. Os atacantes Felipe e Juninho Feijão também mostraram faro de gol, tanto que foram os autores dos tentos do jogo.

No primeiro tempo, o Navegantes foi um pouco melhor, com quatro chutes a gol, mas parou nas boas defesas do goleiro Marcelito. O time ainda acertou duas vezes a trave, com Léo. Já a Lusinha teve sua melhor chance aos 44 minutos, quando Tales mandou na trave de Cristiano, após rápido contra-ataque.

A Portuguesa foi outra após o intervalo. Mais agressiva, a equipe deu sufoco na zaga do NEC e abriu o placar aos 36 minutos. Polegar, o nome do jogo, fez boa jogada e tocou pra Felipe driblar o goleiro e estufar as redes, fazendo o primeiro gol profissional da Lusinha. Aos 40 minutos, Juninho Feijão fechou o placar. Novamente Polegar lançou e o atacante da Lusa foi mais rápido do que os zagueiros, tocando por cobertura, na saída de Cristiano.

A Portuguesa ainda teve o zagueiro Cristian expulso, aos 44 minutos da segunda etapa, mas nada que acabasse com a festa do torcedor, que vibrou muito com a vitória na estreia. O primeiro jogo da Lusinha na divisão de acesso será no dia 12 de agosto, contra o Santa Catarina de Blumenau, em Navega.

Coisa feia

O jogo na city dengo-dengo também teve momentos de amadorismo, principalmente por parte do Nequinho. O time do presidente Egon da Rosa não tinha nem numeração de uniforme pros reservas, que precisaram improvisar números com esparadrapo nas camisas dos atletas substituídos. Também teve boleiro que só pegou a camisa do que estava em campo e foi pro jogo, numa verdadeira cena de pelada de fim de semana. Pra piorar, o técnico Valvilsom tomou uma dura de um boleiro do seu time, quando tentou substitui-lo ainda no primeiro tempo. O cara disse que não sairia e ficou em campo até o intervalo, mostrando que manda mais que o treinero.

  •  

Deixe uma Resposta