• Postado por Tiago

PORTUARIO-1 PORTUARIO-2

 PORTUARIO-3

Os certificados existem, mas os cursos não rolaram

A denúncia do portuário Ernando João Alves Júnior, 25 anos, gerou a abertura de uma sindicância e foi parar até no ministério público. Ele diz que recebeu três certificados de cursos promovidos pelo Órgão Gestor de Mão de Obra (Ogmo), sem nunca ter feito nenhum deles.

Ernando conta que descobriu a maracutaia quando foi demitido do Teconvi, em janeiro deste ano. Ele trabalhou como operador de empilhadeira no terminal por cerca de quatro anos. No dia em que foi buscar os seus documentos pra zarpar, viu que tinha três certificados de cursos que ele nunca fez.

Os diplomas têm o brasão da Marinha do Brasil e são de cursos de operação de empilhadeira realizados entre 2007 e 2008. ?Esses cursos que são feitos em parceria com a Marinha e o Ogmo eu nunca fiz e diante desse fato, eu começo a desconfiar da legalidade dos outros cursos que frequentei?, afirmou, levantando a lebre de outros possíveis xunxos.

No mês passado, o portuário resolveu oficializar a denúncia. Na Marinha recolheram os certificados originais e até ontem não tinham dado nenhuma posição sobre o caso. Já no Ogmo, veio a promessa de que uma sindicância seria aberta pra apurar os fatos.

Ontem, Ernando procurou o ministério público, levou a carrada de documentos que juntou em três meses de investigação própria e formalizou a denúncia pra promotoria.

Ogmo abriu sindicância pra investigar o caso

Luciano Angel Rodriguez, diretor executivo do Ogmo de Itajaí, confirmou que recebeu a denúncia feita por Ernando e afirmou que já tratou de tomar uma atitude. No dia três deste mês, a direção do órgão abriu uma sindicância pra apurar a suposta irregularidade. Luciano contou que uma comissão de operadores e trabalhadores portuários foi formada pra investigar o caso. ?A comissão tem até o começo de julho pra entregar o que será apurado?, informou.

Luciano disse ainda que os cursos fazem parte de um convênio entre a Marinha do Brasil e o Ogmo. O governo federal manda a grana, que é administrada pela Capitania dos Portos peixeira.

O capitão de fragata, Edílson Vieira Salles, que é o chefão da delegacia da Capitania dos Portos em Itajaí, não foi encontrado ontem pelo DIARINHO para comentar o assunto.

Saul Airoso da Silva, diretor de integração portuária, disse que foi procurado por Ernando e o orientou a formalizar a denúncia no Ogmo. ?É uma denúncia grave e muito séria. Nós vamos esperar o Ogmo concluir a sindicância pra então ver o que deve e pode ser feito?, afirmou Saul, que também é diretor da intersindical dos trabalhadores portuários de Santa Catarina.

  •  

Deixe uma Resposta