• Postado por Tiago

Povão segura bandeira do partido que lutou pra colocar no poder, mas que até agora não trouxe mudança

Josué da Silva Costa, 26 anos, só sai de casa com bota. Rosilene Maria da Costa, 36, tem que colocar sacola plástica nos calçados do filho, pro menino ir pra escola. Verônica Cota Lourenço, 41, evita sair de carro e o cadeirante Vilson Fernando de Oliveira, 37, há 15 dias não põe o pé fora de casa. Há muito tempo que os moradores do beco do Crispim, no bairro Volta Grande, em Navegantes, sofrem com o lamaçal que se forma a cada chuva. Pra piorar, na quinta-feira passada a prefa foi dar uma garibada no local, mas acabou cagando mais ainda.

Josué é quem tá organizando os moradores pra reivindicar melhorias no beco, onde moram 24 famílias. Ele conta que cansou de falar com os bagrões da prefa pra resolver o problema.

Na semana passada, ele foi falar com o prefeito que prometeu agilizar a arrumação da rua. Na quinta-feira, os peões trabalharam no local. Na sexta, o macadame já tinha virado num nojo e a altura da lama só aumentou.

O pessoal conta que quase todo dia um carro atola na rua. Vilson diz que já furou dois pneus de seu carro, quando passava pelo lamaçal. Agora o cadeirante nem sai mais de casa.

Pra tentar resolver a encrenca, ontem Josué iria entregar na subprefeitura um abaixo-assinado onde só um morador deixou de assinar. A ideia é que a prefa entre com a tubulação e a estrutura, e o pessoal da rua banque as lajotas, pra calçar a via e resolver o problema.

A ideia de chamar pra si a responsabilidade é porque os moradores tão desacorçoados com a prefa. Eles dizem que o problema não é de hoje e que com a nova administração esperavam mudanças, mas elas não vieram. ?Ninguém liga pra Volta Grande, tanto antes como agora?, se queixa Verônica.

A rua também não tem tubulação e nem iluminação. No começo do ano, um outro abaixo-assinado já tinha sido feito pelos dengo-dengos, mas foi extraviado na secretaria de obras.

Quando o tempo melhorar

O subprefeito Valdelir Quarezi, o Badeco, conta que a prefa tava com boa vontade na semana passada pra resolver o problema, mas o tempo não ajudou. O bagrão reconhece que o macadame colocado não melhorou em nada e explica que a culpa foi da chuva, que não deixou o macadame assentar.

Badeco afirma que já que o sol deu as caras, ainda esta semana os peões da prefa vão no beco passar a patrola e ajeitar a rua pra, pelo menos, deixá-la transitável. O subprefeito diz que o problema do beco se agrava porque o local carece de tubulação e a água se acumula. Ele explica que com a ajuda do povão pagando a obra, o processo de melhorias agiliza pacas.

  •  

Deixe uma Resposta