• Postado por Tiago

Ninguém entrava nem saía da rua

Domingo de protesto na rua Venezuela, na Fazendinha, em Itajaí. O povão fez uma barricada ontem à tarde, impedindo que o caminhão-pipa do serviço Municipal de Saneamento Básico e Infraestrutura (Semasa) saísse do local levando água pros ricaços que moram nas praias das Cabeçudas e Brava. Desde a semana passada, os moradores da Fazendinha sofrem com as torneiras secas.

Na rua Venezuela fica uma uma sub-estação do Semasa. Mas os moradores vizinhos não têm acesso à água. Revoltados por verem os caminhões-pipa saírem em direção a Cabeçudas e praia Brava, levantaram uma barricada e mantiveram um dos brutos presos.

Até por volta das 22h30 de ontem, a polícia Militar negociava com os moradores a liberação do caminhão e a abertura da rua.

A aposentada Astrogilda Reis, 59 anos, disse que a situação é normal nessa época. ?Todo verão é assim?, fala.

Murilo José, assessor de comunicação do Semasa, alega que a sub-estação serve apenas pra Cabeçudas e Brava e que a Fazendinha recebe água de outra estação. ?Não temos como encher as caixas d?água de todo bairro. Estamos disponibilizando o caminhão pra eles pegarem água de balde, pra amenizar o problema até conseguirmos resolver a situação?, afirmou Murilo, referindo-se aos caminhões levados pras praias chiquetosas.

  •  

Deixe uma Resposta