• Postado por Tiago

Ontem mais de 50 pessoas se espremiam nos corredores da Regional

Umas 50 pessoas se acotovelaram ontem à tarde, no interior da delegacia Regional de Itajaí, no centro da cidade, pra tentar tirar a carteira de identidade. Falta de funcionários, atendimento lerdo e má vontade pra dar informações foram os problemas apontados por quem penou com a longa, desconfortável e encalorada espera. Revoltado, o povão ligou pro DIARINHO, que foi lá conferir o berreiro.

Da avenida Sete de Setembro já dava pra ter ideia do problema. As duas filas no setor de carteira de identidade passavam da porta de entrada da delegacia regional. Quem penava à espera de atendimento não tinha opção: ficava em pé e apertado nos abafados corredores da delegacia ou, também em pé, suava sob o sol quente do lado de fora do órgão.

A professora Gisele Peixer, 32 anos, tava indignada. Foi levar os dois filhos – de nove e 13 anos – pra tirar pela primeira vez o documento nacional de identificação. ?Se a gente agride eles [funcionários da delegacia], somos presos. Mas agora a gente tá passando por isso e não tem direito de fazer nada?, reclamou, referindo-se à demora no atendimento e a falta de lugar pro povão sentar. E completou: ?A gente perde uma tarde toda aqui?.

O DIARINHO chegou lá pouco depois das 16h e tinha gente há mais de duas horas na fila. O operário Sidnei Machado, 27, tava só 20 minutos na fila, tempo suficiente pra lhe abalar o humor. Pra ele, faltava orientação dos funcionários da delegacia, pois o povão não sabia nem pra onde ir. ?Deviam fazer como eles fazem nos bancos. Isso ajudaria?, sugeriu.

Sidnei também berrou quanto ao pouco tempo de atendimento ao público. O trampo começa às 14h e vai somente até as 18h.

Além de passar por toda a dificuldade pra conseguir fazer o documento, o povão também é obrigado a esperar dias e dias até que a identidade fique pronta. ?Tem gente que precisa disso pro trabalho, com urgência, e tem que esperar isso tudo?, bufou o operário.

Fila pra pegar uma fila

Pra piorar a situação, o pessoal da delegacia regional ainda resolveu burocratizar o atendimento. Para isso, montou duas filas. Uma delas é pra agendar o dia em que a pessoa tem que voltar lá só pra levar os documentos necessários pra pedir a carteira de identidade. Outra é pra levar os documentos.

Isso significa dizer que o povão é submetido a duas seções de longa e torturante espera em filas. É o caso da técnica de vendas Teresa Bernardete, 45. ?Eu fiquei três horas quando agendei e agora tô há duas horas aqui?, reclamou.

Com essa medida, a coitada da Tereza, bem como as outras pessoas que ontem penavam nas filas, vão ter que enfrentar o calvário uma terceira vez, vários dias depois, só pra pegar o documento.

Falta barnabé pra atender

Ontem, o pessoal da delegacia não tinha nem tempo de atender a imprensa. Na sexta-feira da semana passada, quando outro leitor havia reclamado da demora no atendimento e da burocracia das duas filas, a funcionária Maria da Glória Facchini admitiu ao DIARINHO o problemaço, alegando falta de funcionários para atendimento no setor.

  •  

Deixe uma Resposta