• Postado por Tiago

Abre

Se tem uma coisa que os socialistas do PPS querem distância é de Leonel Pavan (PSDB) e seus amigos. Pelo menos, é o que diz o presidente estadual da sigla, o vereador Claudir Maciel, que irá almoçar nesta semana com o pré-candidato ao senado, Esperidião Amin (PP), na tentativa de costurar uma aliança para a disputa eleitoral do ano que vem. A ?nova tríplice? pode contar ainda com a participação do Democratas.

?Tivemos uma reunião do partido neste fim de semana, em Lages, e ficou claro o descontentamento das bases do PPS em relação à participação do partido neste governo, então iremos buscar um novo projeto?, afirma o vereador galã de novela mexicana.

Para ele, a única possibilidade de um acordo com o atual governo seria o apoio a um candidato do PMDB, caso este não estivesse coligado com o PSDB. ?O mais provável mesmo é que tenhamos um acordo com o PP, e que pode contar ainda com o DEM, se eles saírem da Tríplice. Os nomes que foram cotados são o de Ângela Amin (PP) e Fernando Coruja (PPS), candidatos a governador e vice, respectivamente, e de João Rodrigues (DEM) e Esperidião Amin (PP) ao senado?, antecipou.

O ex-governador Amin acredita que, nesta época, todas os papos são válidos, já que muitos projetos têm uma profunda desconfiança com o projeto do atual governo do estado. Para o careca, tudo pode acontecer. ?Temos que conversar muito agora. Vou ouvir o que o Claudir tem a dizer, e a partir daí vamos analisar as possibilidades. Hoje, Ângela (Amin) aparece em primeiro em todas as pesquisas sérias, e isso é, como costumávamos chamar, um grande ?dote? na hora de negociar alianças?, diz Amin.

Para o presidente estadual do Democratas, senador Raimundo Colombo, uma conversa com qualquer outro partido de fora da atual coligação só acontecerá quando estivem esgotadas todas as possibilidades de reedição da Tríplice. ?O que eu sei é que serei candidato ao governo do estado. Se eu estiver atrás nas pesquisas, baixo a cabeça e apoio quem estiver melhor, seja o Pinho Moreira (PMDB) ou o Pavan (PSDB), mas não é isso que as pesquisas apontam?, conta o senador.

Mas, se as pesquisas demonstrarem um empate técnico, Colombo diz que será candidato, nem que a vaca tussa. ?Se as possibilidades se esgotarem, o partido deve lançar uma chapa pura, com o João Rodrigues como vice?, projeta o risonho senador.

  •  

Deixe uma Resposta