• Postado por Tiago

abre-p1-pop-gay-rubens-flores-arquivo

O motivo alegado foi a violência. No ano passado, 60 mil pessoas asistiram ao Pop Gay

A polícia Militar orientou a prefa da capital a enterrar um dos programas mais concorridos de Floripa: os bailes públicos e o Pop Gay no Carnaval. O motivo alegado é a violência. Em 2006, um cara foi morto num baile em frente à catedral, no dia do baile público no Largo da Alfândega. E o Pop Gay, que sempre rolou na avenida Hercílio Luz, só não acabou porque mandaram a bicharada pra praça Tancredo Neves, em frente à leleia.

?Observamos nos últimos anos que os bailes públicos são um encontro de gangues de vários pontos da Grande Florianópolis. São marginais que vinham preparados pro confronto. Antes que aconteça algo, tomamos essa decisão?, justificou o coronel Newton Ramlow.

O idealizador do Pop Gay e verador, Thiago Silva, disse que tá tudo confirmado. ?O que queremos é ter um grande Carnaval e se há orientação para começar mais cedo e terminar mais cedo, vamos nos adequar. O importante é manter a tradição com segurança?, declarou.

  •  

Deixe uma Resposta