• Postado por Tiago

Obras reiniciaram nesta semana, mas comerciantes tão cabreiros com a demora

Depois de seis meses, a prefa de Balneário Camboriú retomou nesta semana as obras da Quinta avenida, no bairro dos Municípios. O atraso rolou porque os novos abobrões acharam que o projeto original, que custou a bagatela de R$ 6 milhões, era fuleiro, e decidiu fazer umas mudanças. Quem anda de saco cheio com a demora são os comerciantes da área, que já cansaram de engolir pó.

A empreitada começou no governo anterior, do galego Rubens Spernau (PSDB), e deveria ter ficado pronta em dezembro do ano passado. Mas com a passagem do período eleitoral e as chuvaradas de novembro, o trampo acabou sobrando nas mãos do prefeito Edson Periquito (PMDB).

Só que os novos abobrões fizeram beicinho pro projeto de reurbanização da avenida e decidiram dar continuidade à obra só depois de meter o bedelho na história. Como a empreitada já tinha sido iniciada, a demora deixou a avenida virada num alho.

As vias tão esburacadas e, como foi retirado o asfalto em alguns pontos, viraram praticamente estradas de chão. Teve lugares onde o canteiro foi arrancado e o meio da avenida serve hoje pro estacionamento de carangas. ?Não tem sinalização nenhuma, tá uma bagunça?, reclama Marcelo de Conto, 34 anos, dono de uma loja de ferragens da avenida. Ele acha que o atraso é resultado de picuinha política. ?É problema político, só pode?, lascou.

Já Emanuel Geraldo, 53, que é dono de duas lojas de calçados na avenida, siqueixa da poeira e do barro causados pela buraqueira. ?Todo dia tem que limpar vitrine?, diz. Ele conta que a falta de uma calçada decente e de estacionamento ajudou a diminuir seu lucro e lembra que quem sofre com o atraso é o povão. ?Quanto mais tempo demorar, pior pra nós. Nós é que temos que sofrer com a poeira e o trânsito. A gente já paga IPTU e alvará e é obrigado a passar por isso?, reclama.

Tudo pronto só em setembro

O secretário de obras, Valmir Pereira, diz que nesta primeira fase de retomada das obras será refeito o piso da ciclovia e os meio-fios serão substituídos. ?Os ciclistas reclamam do piso da ciclovia em pavet ? aquela lajotinha quadrada ?, então vamos usar concreto. Os meio-fios não eram seguros?, explica

A promessa é fazer galerias pra água da chuva em toda a extensão da avenida, desde o rio Peroba até o canal da Gamboa. Isso, diz o secretário, vai ajudar a diminuir os alagamentos na região. Enquanto rolarem as obras pelo menos um lado das vias será asfaltado, pra diminuir o poeirão.

Essa fase vai da via Gastronômica, na Vila Real, até a rua Angelina, e deve durar até julho. A previsão de terminar o restante, da rua Angelina até a rótula da Integração, é o mês de setembro.

Questionado se a demora na retomada das obras não rolou por politicagem, Valmir diz que não. ?Houve mudança administrativa. É natural analisar o que tá sendo feito. Nós quisemos melhorar o projeto?, lascou. As mudanças vão deixar a empreitada mais cara. O secretário diz que a grana pra realizar o novo projeto será definida semana que vem. Só então será encaminhada pra aprovação da câmara de vereadores.

  •  

Deixe uma Resposta