• Postado por Tiago

A prefa de Camboriú não quer mais saber de lata-velha no pátio. Foi anunciado um leilão pra botar fora carros, caminhões e máquinas que já não são usados pela administração da prefeita loirosa Luzia Coppi Mathias (PSDB). “Não queremos mais gastar com coisa velha”, disse a prefeita. A intenção é arrecadar a bolada de R$ 300 mil com o prego. A promessa é que a grana seja investida em maquinário pra secretaria de obras da capital da pedra.

O leilão vai rolar no dia 26 de maio, no auditório da prefa, que fica na rua Getúlio Vargas, 77. O edital publicado esta semana diz que podem participar dos arremates pessoas físicas e empresas, desde que se comprometam a pagar em cheque próprio ou dinheiro vivo. Nada de calote!

São 20 lotes, 10 de carangas. O mais caro é um Gol ano 1999, branco, que tem lance inicial de R$ 12 mil. O precinho mais camarada é de uma Fiorino, que tá custando a mixaria de R$ 500. Mas quem se animou pensando em usar o salário pra comprar um possante pode tirar o cavalinho da chuva. A prefeita avisa que os carros tão todos judiadinhos e vão servir mesmo pra quem trabalha com peças. “Nem rodam mais”, avisou.

Também serão leiloados caminhões, retroescavadeiras e duas Topics. O último lote é de sucata. São carteiras, cadeiras e peças de ferro de todo tipo, com lance inicial de 18 centavos por quilo.

A prefa nomeou o leiloeiro Júlio Ramos Luz pra ficar de zóio no prego. Numa avaliação prévia, os lotes devem ser vendidos a pelo menos R$ 264 mil, o que vai fazer uma baita diferença nos cofrinhos da prefa.

Apressada, a prefeita tá contando com o ovo no fiofó da galinha e já anunciou onde vai gastar o dindim. “Vamos comprar equipamentos pra secretaria de obras. Dá pra comprar bastante coisas”, comemora. A esperança é que o novo maquinário ajude à cidade a dar conta do recado, já que ainda pena com os estragos causados por enchentes e deslizamentos de terra desde novembro passado.

suína e pandemias que aterrorizam o turismo. À noite, um jantar de gala será embalado pelo ex-ministro da Cultura, Gilberto Gil.

  •  

Deixe uma Resposta