• Postado por Tiago

Os deficientes visuais de Navegantes enfrentam um baita perrengue. Eles não têm transporte pra irem até a Associação dos Deficientes Visuais de Itajaí e região (Advir), que fica em Itajaí. O vice-presidente da Advir, Jairton Fabeni, que é morador dengo-dengo, conta que desde o início do ano vem pedindo o serviço à prefa, mas até agora nada de ser atendido. O vice-prefeito navegantino, Marco Emílio Vieira (PP), chegou a garantir uma caranga, mas a informação não foi confirmada.

Jairton explica que o serviço deveria ser prestado aos deficientes que não têm condições de se locomover sozinhos. Seriam cinco dos 24 cegos que participam da Advir em Navegantes. Essas pessoas são as mais velhas, as que necessitam de um empurrãozinho pra participar e as que não conhecem o caminho. O presidente conta que entre os que precisam de ajuda estão um deficiente que tentou o suicídio duas vezes, outro que tem diabetes e não pode caminhar muito, e um terceiro que tentou ir sozinho, mas por duas vezes caiu no meio do caminho.

O presidente da Advir acredita que uma caranga daria conta do recado. Jairton vem pedido este veículo desde o início do ano. “Entreguei duas vezes, em mãos, o projeto ao prefeito e uma para o vice, e também enviamos a relação do pessoal, com toda a documentação necessária”, comenta Jairton.

Segundo Jairton, o transporte iria atender os deficientes apenas nas segundas e quartas-feiras. Nos dois dias, eles iriam pra Advir, onde trabalhariam a integração em esportes e oficinas, com orientação em mobilidade e braile.

Burros n´água

Há duas semanas, o vice-prefeito disse que finalmente o serviço iria sair do papel e já tava comemorando. Porém, esta semana, a secretária de Emílio informou que a prefa tava vendo a possibilidade, mas que nada tinha sido definido.

O vice-prefeito garantiu ao DIARINHO que a prefa irá ajudar a associação, mas que nada ficou acertado por problemas financeiros, que a administração vem enfrentando. “Quero que entendam a situação econômica”, sisplica.

Emílio diz que até o final do ano, a secretaria da saúde deve ganhar três carros e que então terá a possibilidade de disponibilizar um ao atendimento da Advir. Marco Emílio afirma também que a Advir ainda pediu ajuda pra contratação de motorista e cozinheira, mas que isto atualmente é impossível. No entanto, diz que vai analisar todos os pedidos para atender pelo menos um, o quanto antes.

  •  

Deixe uma Resposta