• Postado por Tiago

abre-pagina-nove-g---ong-despejada-(31)

Prefa deu carência de mais três dias pra ong tirar os bichanos da casa

A organização não-governamental Defesa Animal foi despejada pela prefa de Balneário Camboriú. A sede da entidade tá numa área que foi desapropriada pras obras de extensão da Quinta avenida, no bairro Vila Real, e é alvo de ações há seis meses. A presidenta da ong, indignada, diz que cansou de pedir à prefa uma ajuda pra manter a associação e chama os abobrões de desnaturados. Com o despejo, mais de 60 gatinhos ficaram sem lar.

A Defesa Animal funcionava numa baia da rua Dom Arthur, que tinha sido cedida por uma empreiteira. Em 2008, o proprietário soube que a casa seria desapropriada porque a Quinta avenida ia passar por ali, pra ligar o bairro dos Municípios à Via Gastronômica. A ong, que já tava há três anos tentando firmar um convênio com a prefa pra cuidar dos animais que recolhe das ruas, pedinchou um tempo e uma mãozinha pra tentar arranjar um novo espaço.

Até que, na terça-feira à tarde, oficiais de justiça apareceram na sede pra cumprir a desapropriação. Foi a maior confusão. Nem a dona justa nem os abobrões tinham se preocupado com a bicharada, e ninguém sabia o que fazer com eles.

Foi cogitado levar os gatinhos pra sede de outra ong, a Viva Bicho. Mas a presidenta da Defesa Animal, Amélia Souza, bateu pé e não concordou. ?Eles não têm lugar pra todos os gatos lá. A maioria tá doente e precisa de cuidados especiais. Eles vão morrer se forem levados pra lá?, lascou.

Voluntários da Defesa Animal apareceram pra reforçar o coro dos descontentes. ?É uma judiação. Os gatos tão muito assustados?, disse Silvia Deglmann, com o rosto molhado de lágrimas. O que deixou o pessoal mais intisicado foi o fato da prefa não ter dado bola pro pedincho de convênio com a entidade. ?Eles podem ajudar. Só não ajudam porque não querem?, acusou Amélia.

Depois de muito bafafá, a presidente da ong concordou com a retirada de móveis do local. Ficou decidido que os gatinhos poderão permanecer ali por mais três dias, até que seja encontrado um novo local pra entidade. Amélia disse que vai tentar alugar uma chácara pra servir de lar pros bichanos. ?Vou insistir no convênio com a prefeitura pra poder alugar esse local. Até lá eles vão ficar numa casa emprestada por uma amiga minha, em Camboriú, mas o local não é adequado?, contou.

Processo demorado

O procurador da prefa, Marcelo Freitas, informou que Amélia já tinha sido notificada duas vezes sobre a desapropriação. ?Ela sabia que teria que sair?, afirmou. Ele disse que a prefa não tem como firmar um convênio com a entidade sem mais nem menos. ?Assumimos a prefeitura há cinco meses. Este é um processo demorado?, comentou.

Mas a presidenta da ong disse que não é bem assim. ?É só eles olharem os arquivos, já mandei projeto de convênio várias vezes. Eles não sabem o que dizer porque não sabem administrar?, carcou.

Questionado sobre a ong estar fazendo um trampo que caberia ao município, se Balneário tivesse um centro de zoonoses, o dotô falou que vai fazer uma forcinha pra que o tal centro saia logo do papel. ?A lei que cria o centro de zoonoses existe, é só colocar em prática?, acredita.

  •  

Deixe uma Resposta