• Postado por Tiago

INTERNA_10_abre-esquerda--demolição-casas-são-vicente_foto-luz-clarita-(6) A demolição rolou pela manhã

A prefeitura de Itajaí demoliu ontem pela manhã quatro casas às margens do rio Itajaí- Mirim, próximo à ponte da Nova Brasília, no São Vicente. As baias estavam condenadas pela defesa civil desde a enchente do ano passado. As casas demolidas ficavam na rua Carlos Drumond de Andrade, às margens do rio Itajaí-mirim. Por isso, dizem os técnicos da prefeitura, estavam em área de prreservação permanente.

O pintor Carlos Fernando Ramos, 44 anos, não teve coragem de ver sua casa ir ao chão. Ele diz que não tem garantia de que a prefa vai construir uma nova moradia pra família e lamenta a demolição. Hoje mora com os dois filhos pré-adolescentes numa baia de aluguel paga pela prefa.

Carlos chegou a apelar para o Ministério Público, na tentativa de impedir a demolição. Mas não teve jeito. O maior medo é que a administração municipal pare de pagar o aluguel e não construa uma outra casa. Carlos, que morava há 15 anos no local, diz que não tem nenhum documento que comprove que receberá ajuda do poder público.

Outro motivo da cabreirice de Carlos é que em 2006 teve autorização da prefa para reconstruir seu barraco. No oficio número 028/2006, o departamento de habitação popular e a fiscalização de controle urbano autoriza o morador a reconstruir seu barraco, que tava capenga, mesmo estando em área de preservação permanente. Para Carlos, este documento da administração anterior lhe dá o direito de voltar a morar no local.

Tem esperança

Seu João Bernardino, 69, e o filho Messias João Bernardino, 43, também tavam tristes com a demolição. A família Bernardino viu de perto o trabalho dos peões da prefeitura. Eles moravam na área há aproximadamente 35 anos. ?Tô confiante. O homem tem que confiar no homem?, diz seu João sobre a expectativa de receber uma nova casa.

  •  

Deixe uma Resposta