• Postado por Tiago

INTERNA-POLICIA--OITO---CASO-SANDRO

Duas empresas tinham licença para explorar os serviços em Balneário Camboriú. Banana boat tá liberada

Acabou a farra de quem curtia brincar com o Disco Boat na praia central do Balneário Camboriú. Ontem, a prefeitura informou que suspendeu o alvará da empresa que oferecia o serviço na Praia Central. A medida vale enquanto a delegacia da Capitania dos Portos e a polícia civil investigam as causas da morte do motorista Sandro Bilha, 22 anos, que caiu da geringonça na noite de domingo.

O alvará das duas empresas que prestam o serviço na Maravilha do Atlântico foi suspenso por solicitação do prefeito Edson Periquito (PMDB). Ele pediu compreensão do pessoal pra segurar o uso dos brinquedos até que seja concluída a investigação da capitania dos portos peixeira e da polícia civil.

O secretário da Fazenda, Yedon Nunes, disse que os alvarás só vão ser liberados se a investigação apontar que a empresa não foi responsável pelo acidente. Por enquanto os Discos Boat então proibidos de entrar na água. Aquele que insistir em prestar o serviço poderá levar uma multa e ter a autorização cancelada pra sempre. ?Eles correm o risco de ter suspensa a outra atividade, de banana boat, também?, conta o coordenador de sistema tributário da prefa, Osnildo Fernando Albino.

A prefeitura não tem planos de ressarcir os donos dos brinquedos sobre possíveis prejuízos. Pelo cadastro da prefa, só duas empresas oferecem o serviço de disco boat no Balneário mais badalado do sul do mundo. Uma na praia de Laranjeiras e a outro no pontal norte da praia central, justamente onde rolou a morte de Sandro.

Ontem de manhã, a equipe do DIARINHO esteve na praia Central pra conversar com os proprietários da empresa, mas não encontrou ninguém. A barraca estava largada às traças e as cadeiras e mesas acorrentadas a um pilar. Um rapaz que tomava sol na região, e não quis se identificar, disse que chegou cedinho à praia e não viu movimentação nenhuma por lá durante o dia.

O dono do discão até já bateu um papo com o comando da delegacia da Capitania dos Portos e apresentou todos os documentos do brinquedo, que estão nos trinques. Agora o pessoal da delegacia da Capitania dos Portos quer saber se o motora da lancha tava pilotando em velocidade superior a permitida.

Como foi o acidente

Sandro caiu do disco boat no fim da tarde de domingo. Chegou a ser socorrido, mas morreu no hospital. A causa da morte foi hemorragia interna. Pelo laudo médico, ele teria sofrido os ferimentos ao bater com o corpo na água. Pra família, o acidente só aconteceu por que o brinquedo estava rápido demais e a lancha que fazia o reboque fazia manobras perigosas.

  •  

Deixe uma Resposta