• Postado por Tiago

Evandro1

?O nome da cidade é Penha e continuará se chamando Penha?

Ele chega para trabalhar, abre a Bíblia que mantém em cima da mesa, lê um trecho e se diz pronto para enfrentar os desafios de mais um dia à frente da administração de Penha. Aos 31 anos, o prefeito Evandro Eredes dos Navegantes (PSDB) quer em quatro anos transformar a cidade em uma espécie de Balneário Camboriú. Sua meta é investir no turismo, estimular a construção civil e preservar o meio ambiente.

Em nove meses de trabalho, mandou cortar árvores, levantou algumas praças, asfaltou ruas, mandou construir placas estilizadas de gosto duvidoso, foi criticado, mas garante que todas as iniciativas que tomou foram em benefício da comunidade. Ele reconhece que tem muito por fazer, principalmente no que se refere à infraestrutura e saneamento básico.

O entrevistão foi concedido aos jornalistas Adão Pinheiro e Clara Silva. As fotos são de Felipe Vieira Trojan.

DIARINHO – O ex-prefeito Coelho teve as contas rejeitadas pela Câmara de Vereadores esta semana, sendo grande a possibilidade de tornar-se inelegível. O senhor fica mais tranquilo ao saber que seu principal adversário está fora do páreo nas próximas eleições?

Evandro Eredes dos Navegantes ? Não, de forma alguma. O meu pensamento em relação às contas do ex-prefeito Julcemar Coelho é que houve uma irregularidade apontada pelo Tribunal de Contas do Estado. Isso não nos deixa nem tristes nem alegres, pois é uma situação que amanhã também pode acontecer comigo. E eu não vejo que o Coelho seria o meu próximo adversário político. As eleições acontecem daqui a três anos, e talvez eu seja o meu próprio adversário político se eu não conseguir conduzir o município com muita vontade, com muito compromisso, com muita responsabilidade. Sem dúvida nenhuma, pelo fato de o Coelho ter sido o prefeito de Penha três vezes, ele é visto como um pré-candidato ou um candidato do partido de oposição. De forma alguma essa decisão serviu para eu ficar alegre ou contente, mesmo porque em 2004 o Clóvis também teve as contas rejeitadas, mas disputou o pleito eleitoral. Isso é bem tranquilo. Na verdade é assim: a minha preocupação é comigo mesmo.

_MG_1249

DIARINHO ? O prefeito de Navegantes, Roberto Carlos, seu colega de partido, está rediscutindo os benefícios fiscais oferecidos por gestões passadas a grandes empresas instaladas no município. O senhor deve seguir o exemplo e questionar a isenção de impostos dada ao Parque Beto Carrero? O fato de o senhor ter sido um funcionário de confiança do parque não interfere na isenção necessária para avaliar se esta isenção vale a pena para o município?

Evandro ? Não. De forma alguma isso passa pela nossa cabeça, mesmo porque o parque hoje é segurado por uma lei de isenção fiscal e de expansão de novos empreendimentos. E nós sabemos que o parque foi um grande empreendimento, que alavancou o turismo, a economia e a geração de renda da nossa região. Hoje seria uma atitude não somente impopular, mas muito injusta por tudo que o Beto Carrero, por tudo que o parque fez pelo município de Penha e tenho certeza que ainda irá fazer. [O fato do senhor ter sido um funcionário de confiança do parque não interfere na isenção necessária, para avaliar essa isenção de impostos? Se vale a pena ou não para o município?]. De forma alguma. Essa isenção foi dada no ano de 1994 e naquela época eu não era nem funcionário do parque e nem político. Essa é uma decisão tomada lá atrás e que agora está valendo. [Qual a duração?] Ela tem um período de 20 anos, ou seja, ainda está valendo. Eu acho que o que o parque fez pelo município, o que o parque faz pelo estado de Santa Catarina, a propagação que tem não justificaria uma medida tão impopular. É um orgulho para nós penhenses ter o Beto Carrero instalado aqui. Quantos municípios da nossa região queriam e fariam muito mais para ter o Parque Beto Carrero? Se Penha deu 20 anos, tem município que daria de 30 a 40 anos de isenção de impostos. Então, de forma alguma passa isso pela nossa cabeça. Muito pelo contrário, nós vemos hoje que a grande locomotiva para o desenvolvimento de Penha é o Parque Beto Carrero. Claro que o Roberto (Roberto Carlos, prefeito de Navegantes) tem as suas razões para tomar a atitude dele. Nós estamos agora, inclusive, analisando a possibilidade de duas empresas virem se instalar no município. [De que setor?] Uma de vidro temperado e outra do setor têxtil. E estamos estudando a possibilidade das duas serem enquadradas na lei de incentivo fiscal, assim com a Takata tem em Piçarras e a Cebrace, em Barra Velha. Acima de tudo nós temos que ter a responsabilidade de entender que lá atrás teve uma lei fiscal autorizada pelo poder legislativo, que dava condição para que os empresários fizessem o seu investimento na cidade. Nós não podemos agora, por uma questão política ou de reestruturação de caixa, querer revogar aquilo que é de direito e tomar uma atitude um pouco autoritária, no meu ponto de vista.

DIARINHO ? A indústria de beneficiamento de moluscos ainda está inativa. Não faltaria apoio da administração municipal para que a cooperativa dos maricultores comece a funcionar e contribuir no aumento de renda para mais de 100 famílias da cidade?

Evandro – Faz uns três meses que conseguimos, em convênio com a própria maricultura, fazer a cooperativa de marisco voltar a operar. Os maricultores da cooperativa agora têm a certificação do Serviço de Inspeção Federal (SIF). Através da nossa administração, nós fizemos um convênio no valor de R$ 200 mil com a secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR), que está sendo liberado em parcelas para a compra dos equipamentos necessários ao funcionamento da cooperativa. Só não começou a produção porque estamos na entressafra do marisco. Agora não é momento de colheita. A cooperativa está com a estrutura necessária pra fazer todo o processo de beneficiamento exigido pelo SIF, que é uma linha de produção. Para o próximo ano o nosso apoio será maior ainda à maricultura. Até agora o nosso apoio foi ajudar na busca do SIF. Já a administração anterior entendeu por bem não dar essa ajuda à maricultura. Assim que nós assumimos, o presidente da associação dos maricultores e o presidente da cooperativa nos procuraram e nós nos comprometemos em atender essa reivindicação.

DIARINHO – Dizem que a administração passada não dava bola para o Parque Beto Carrero. E agora dizem que sua administração dá atenção demais ao parque. O senhor trabalhou muito tempo lá e é tido como o candidato do Beto… Não existe a possibilidade de se fazer um meio termo, buscar o equilíbrio? O parque ajudar a cidade e vice-versa, mas sem interferência do setor privado no que é público?

Evandro ? Eu não vejo que tenha uma interferência nossa no parque e do parque na administração pública. Eu vejo que o ex-prefeito não soube entender que o município precisa do parque em função da publicidade que o Beto Carrero dá à nossa região. Eu acredito, por exemplo, que o prefeito Jandir Bellini deve tratar as maiores empresas de Itajaí na palma da mão. Assim como o Umberto (Umberto Teixeira, prefeito de Piçarras), faz com a Takata, o Samir (Samir Mattar, prefeito de Barra Velha), faz com a Cebrace. Infelizmente, o ex-prefeito não soube ter essa aproximação. Eu trabalhei 12 anos no parque, ocupava um cargo de confiança. Tenho os meus amigos no parque, estamos buscando novas parcerias com a administração do Beto Carrero. Já fizemos a Festa do Marisco em parceria com o parque. Foi a maior festa que o município realizou. Fizemos o primeiro campeonato de jet ski em Penha, com a ajuda do Parque Beto Carrero. Este ano o parque abriu dois dias, o que foi uma coisa inédita, para receber os cerca de quatro mil alunos da rede municipal de ensino. Imagine o custo. O parque abrir dois dias só para atender os alunos, com a despesa que representa. Fazer os funcionários trabalharem só para atender às crianças da rede municipal. Quantas famílias hoje dependem do Beto Carrero ou tiveram a sua vida profissional pautada pelo parque? Então, assim, dá para elencar a quantidade de fatores importantes que o Beto Carrero, que o empreendimento representa para o município de Penha. É claro que isso tem facilitado e vocês podem ter certeza que quem vai ganhar com isso é a cidade. A aproximação que eu tenho com o parque é porque eu sou amigo do Alex [Alex Murad], que hoje é o presidente do parque, e de todos os diretores, pois trabalhei lá 12 anos. Isso tem facilitado e vai ajudar muito o município de Penha a crescer e alavancar a economia. Na sexta-feira passada (a entrevista foi feita quinta-feira, dia 24 de setembro) nós recebemos o governador Luiz Henrique da Silveira no Beto Carrero. Só este ano, na minha administração, foi a quarta vez que recebemos o governador. Se você olhar na região, quantos municípios já receberam o governador? Penha já recebeu quatro vezes o governador no Parque Beto Carrero, e lá nós estávamos. Então a importância de quando se chega num governo estadual ou num governo federal com um projeto na mão e fala ?olha, eu sou o prefeito da cidade onde tem o parque Beto Carrero?, o respaldo é muito maior. [O senhor não teme que a importância do parque fique maior do que a importância do próprio município…] Não. O Beto Carrero é de extrema importância para o município. O administrador, independente de ser o Evandro ou quem possa vir a me substituir, tem que ter esse entendimento da estrutura que hoje é o parque e o que ele representa para a cidade. Agora, tem que saber utilizar bem essa parceria, a força política que o parque tem. Tem uma rodovia que passa em frente. Agora o governador liberou R$ 7 milhões para construir o centro de excelência no parque. A força política que o parque tem é muito grande. Os administradores têm que saber aproveitar este momento, para conseguir trazer recursos e parcerias para embelezar ainda mais a cidade.

DIARINHO – É verdade que o senhor quer até mudar o nome de Penha pra ?Cidade do Beto Carrero??

Evandro ? Não, de forma alguma. Esses dias até li esse assunto numa revista. Teve um jornalista doido que escreveu isso. De forma alguma quero trocar o nome da cidade. Até existe uma conversa que foi levantada na câmara de vereadores para mudar para Balneário de Penha, e eu também sou contra. O nome da cidade é Penha e continuará se chamando Penha. Não passa pela minha cabeça querer mudar para cidade do Beto Carrero ou para Balneário de Penha. A Penha tem uma história e a partir do momento que trocar o nome, ela vai perder esta história. [Essa discussão seria uma brincadeira da oposição para atingir o senhor?]. Eu acredito que sim ou porque eu tenho uma relação muito próxima com o parque. A minha vida profissional está toda lá. Então as pessoas entenderam que com o Evandro vencendo as eleições quem ia sentar na cadeira era o Alex; a cidade iria se chamar Beto Carrero e teria uma montanha russa no meio da cidade. A turma fez uma confusão que não existe…

_MG_1289

DIARINHO – A nova administração de Penha afirma com orgulho que segue o exemplo de Balneário Camboriú. Quais os pontos positivos disso? O que está sendo feito para lidar e contornar os pontos negativos?

Evandro – Nós temos como exemplo e não somente nós, mas todos os municípios da região da Amfri têm como modelo o crescimento explosivo de Balneário Camboriú. Hoje o nosso trabalho é seguir esse exemplo. A gente sabe que Penha tem muita coisa pra fazer. Nós começamos um processo de reurbanização da cidade e, por outro lado, estamos estimulando a construção civil. Isso é um trabalho que precisa ser feito a longo prazo. Não dá pra ter uma resposta imediata. Estamos projetando grandes eventos no turismo, como o congresso da Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABAV), que antes era realizado no Rio de Janeiro, mas foi transferido para Penha. Já fizemos o Encontro Brasileiro da Mídia Eletrônica, com excelente resultado de mídia em todo o país. Saiu até uma foto do Evandro na revista Chiques & Famosos. Na BNT- Bolsa de Negócios Turísticos ? fizemos um link trazendo a feira pra dentro da cidade. Por outro lado, além da questão turística, nós estamos trabalhando a questão da construção civil. Na nossa administração já foi liberada a construção de 10 torres de sete andares, no centro, e já foi autorizado um loteamento de 356 lotes, que vai ser no bairro Nossa Senhora de Fátima, e já tem dois condomínios sendo analisados pela secretaria de Planejamento. Um será pelo programa Minha Casa Minha Vida, que prevê a construção de 580 apartamentos próximo ao instituto Beto Carrero, por uma construtora de Camboriú, e um condomínio fechado na Cohab. Tudo obedecendo aos critérios do plano diretor, do código de postura de obras. Também não vamos deixar que a verticalização seja muito alta. É o que já está determinado no Plano Diretor.

DIARINHO – O que o senhor planejou pra lidar com o impacto causado com o aumento de turistas? O que a prefeitura está pensando pra não repetir os erros de cidades como Balneário Camboriú, Itapema e Bombinhas, que cresceram desordenadamente e pagam um alto preço por isso?

Evandro – Nós estamos reestudando a construção da terceira avenida. Ela já tem um pedaço feito, mas nós estamos pensando em mudar o trajeto para que essa avenida possa ser construída antes do previsto, pois o crescimento da cidade não vai esperar. Hoje pela manhã, o Aristides do grupo Beto Carrero [Aristides Niehues], me ligou dizendo que as licenças para a construção de uma marina estão em ritmo acelerado. Aqui em Santa Catarina eu acho que será a primeira marina de frente para o mar. A Marina Tedesco, em Balneário Camboriú, é no rio. Então a qualquer momento a marina entra em construção. É mais um investimento que vem se instalar no município de Penha. É um negócio com um investimento de mais de R$ 300 milhões, e, assim como o Beto Carrero, será um divisor de águas. A marina vai trazer um público selecionado. A nossa principal preocupação é com o saneamento básico. Já tivemos duas reuniões com a Casan para fazer um programa de saneamento básico para todo o município de Penha. O projeto já foi desenvolvido e está estimado em R$ 40 milhões. [Esses recursos são suficientes?] Sim, são suficiente para fazer todo o saneamento básico do município, só que a Casan vem protelando essa obra. Nós estamos agora, de forma um pouco mais enérgica, cobrando em cima do contrato. Acionando, inclusive juridicamente, a Casan. Vem a construção civil, vem a marina e a cidade vai crescendo e não tem estrutura de saneamento básico. Para a infraestrutura do município temos protocolado no ministério das Cidades investimentos na ordem de R$ 12 milhões, que, no nosso entendimento, são suficientes para resolver a questão da infraestrutura urbana. Fizemos um levantamento das necessidades do município na época que eu era vereador ? entre 2005 e 2008. Muitas das questões a gente acelerou porque eu já tinha um entendimento. Então, na questão da infraestrutura do município, eu tenho absoluta certeza de que até o final do meu primeiro mandato temos condições de cumprir as promessas de campanha. Agora a questão do saneamento básico depende muito de uma parceria com a Casan.

DIARINHO ? O novo secretário Felipe Schmidt declarou recentemente que tem planos de pelo menos dobrar a população residente no município para melhorar a qualidade de vida na cidade. Em vez de aumentar a quantidade, não seria melhor investir na qualificação dos turistas, durante o ano todo, por exemplo?

Evandro ? Essa declaração do seu Felipe se refere basicamente à vinda de novos investimentos e empreendimentos da construção civil. Agora, com relação ao turismo da cidade, nós tivemos em agosto uma taxa de ocupação de quase 80% na rede hoteleira, um fato inédito para Penha. Isso já é uma resposta que o turismo de Penha pode acabar com a curva da sazonalidade do fluxo turístico. Por isso que nós investimos pesado na questão do turismo. Estamos plantando e nos próximos anos vamos colher esses investimentos. Com relação a qualificação da mão-de-obra, já fizemos cursos técnicos para recepcionistas, garçons, promovidos pela secretaria de Turismo. Tá tramitando na câmara de vereadores o projeto chamado Amigo do Turista, que pretende preparar todo o comerciante para atender bem o turista durante a alta temporada. Vamos normatizar a vinda de ambulantes para o município de Penha. A meta é levar a todos os comerciantes, através da secretaria de Turismo, técnicas de como atender bem o turista. Eu tenho certeza que a cidade vai bombar. 2010 é a vez do município de Penha. A cidade vai explodir no crescimento da construção civil, em obras de infraestrutura e também no turismo.

DIARINHO ? Em recente relatório da Fatma, Penha apresentou cinco praias com águas poluídas, das 11 pesquisadas. O que a prefeitura faz na prática para tirar o esgoto das praias?

Evandro ? A Fatma faz um monitoramento, mas teve uma praia que foi apontada como imprópria para banho, mas ela está apta. A balneabilidade do local já é 100%. O nosso trabalho é justamente na questão do saneamento. Hoje não se abre nenhum comércio no município de Penha que não tenha fossa séptica ou sumidor. Esse trabalho já vem sendo realizado há dois anos. Toda a rua que está sendo pavimentada ou será pavimentada terá o tratamento de esgoto. É um trabalho que estamos fazendo no dia-a-dia, mas é controlado e monitorado pela vigilância sanitária. Nós só vamos ter um grande êxito mesmo quando for feito o saneamento da cidade por completo. Hoje a nossa preocupação é construir uma estação de tratamento de esgoto. Essa obra tá dentro do projeto de 40 milhões elaborado pela Casan e que vai atender a cidade toda. No município de Penha muitos esgotos foram ligados a céu aberto. Vocês podem perceber que hoje, nesses nove meses de governo, uma das nossas preocupações, principalmente no que se refere à pavimentação de ruas, é com o saneamento básico. Antigamente os moradores pavimentavam as ruas num sistema de mutirão, com ligação de esgoto clandestino. Hoje isso não está mais ocorrendo. Nós criamos um novo programa de pavimentação, que é o Programa de Aceleração de Pavimentação, que mesmo que a população dê a sua contribuição a prefeitura aprova o projeto e fiscaliza a obra.

DIARINHO ? É verdade que o senhor está contratando  o escritório de Oscar Niemeyer? É verdade que ele se admirou com o fato de não haver praças no município e daí veio a ideia de construir espaços públicos, como a praça de Armação?

Evandro ? O Oscar Niemayer foi assim… Quando que um prefeito de uma cidade como Penha teria condições de estar no escritório do Oscar Niemayer com o plano diretor da cidade? Nós conseguimos essa aproximação através do Alex do Parque Beto Carrero. Oscar Niemayer tinha uma proximidade muito grande com o Beto Carrero e através deles que nós conseguimos esse contato. Nós estivemos em Copacabana, no Rio de Janeiro, visitando o escritório do Oscar Niemayer. Levamos o plano diretor da cidade, a planta baixa, o sistema viário para que ele pudesse dar uma avaliada. Dois meses depois desse contato a equipe do Oscar Niemayer esteve em Penha, onde ficou durante dois dias. Nós mostramos toda a cidade, definimos algumas obras que nós entendemos que são importantes para o crescimento. A nossa intenção não é somente construir uma obra de Oscar Niemayer, mas que com o plano diretor ele possa nos dizer o que está errado e o que está certo. Oscar não veio em Penha, mas ele ficou admirado com o que eu falei da cidade. Ele começou a visualizar como seria Penha. Ele ficou surpreso porque Penha não tem praça, não tem áreas de lazer, não tem um teatro municipal, várias construções que fazem parte do currículo de Oscar Niemayer. Uma cidade turística, mas uma cidade tranquila, com 19 praias, acolhedora, com um povo honesto. Povo que acorda cedo, trabalhador. Então ele se apaixonou por essa descrição. Nosso compromisso com o escritório é de eles fazerem um estudo das necessidades do município, com uma apresentação para que possamos decidir o que está dentro das condições da cidade. [São projetos em que áreas?] São projetos para área de turismo, área de cultura, área de lazer e até mesmo a construção de uma nova prefeitura, e o atual prédio transformar em casa da cultura, que é o grande sonho nosso. São seis projetos que nós passamos para eles. Eles vão desenvolver e nós vamos optar por um deles.

DIARINHO – Penha possui uma grande riqueza ambiental, com praias e áreas de mata atlântica. Existe uma preocupação da administração pública em dar treinamento a esses colaboradores que lidam com o meio ambiente, sobretudo da secretaria de Obras? E com os turistas, pra ajudarem a preservar a cidade e suas belezas?

Evandro – Hoje nós temos o Codema, que é o órgão que cuida do meio ambiente de nossa cidade. Até foi bom você fazer essa pergunta, porque nós andamos apanhando um pouco da imprensa por conta dos cortes de árvores que teve no município. Mas assim, não houve um desmatamento. Foram cortadas três árvores na praia do Quilombo. Árvores que na noite do dia sete para o dia oito de setembro ameaçavam cair e tinha que se fazer alguma coisa. E na praia Alegre foram cortadas duas ou três árvores. Não houve nenhum tipo de desmatamento, uma agressão muito forte ao meio ambiente. Se vocês perceberem e pegarem o que foi feito pela administração anterior, eu posso citar, por exemplo, o calçadão da praia do Quilombo, que não somou nada para a cidade, vão ver que teve muito mais agressão ao meio ambiente. Aquilo não serve para nada. A cidade não aproveita. Ali sim, nós temos um problema de meio ambiente. Nós estamos respondendo ao ministério Público e ao Ibama. Os administradores anteriores não pensaram nisso. Acabaram com a restinga, destruíram árvores. Fizeram um banzé total e agrediram o meio ambiente. Semana passada fui chamado pelo promotor federal para dar explicações sobre a agressão ao meio ambiente do calçadão do Quilombo. Se nós formos aqui colocar o que foi feito pela administração anterior em relação ao meio ambiente, isso sim é uma agressão. Nós estamos com tudo anotado e no momento certo vamos acionar o ministério Público e fazer denúncias. Nós temos uma preocupação efetiva com o meio ambiente. Nós temos a praia Vermelha toda preservada. Nós temos a praia do São Roque, também preservada. Temos a mata atlântica que cerca o nosso município preservada. No nosso governo, nos primeiros nove meses, nós temos trabalhado juntamente com o Codema para garantir a preservação do meio ambiente. Nós tivemos um problema com a nossa bióloga que era responsável por acompanhar as questões de meio ambiente, porque ela se acidentou. Mas no final de outubro ela estará retornando ao serviço. Temos uma preocupação muito grande com a lagoa do Quinca Ludo, que não é culpa do Evandro. Eu tô há nove meses no governo. A administração anterior acabou com que era talvez o único criadouro de espécies marinhas da região. Nós temos a incumbência de tentar revitalizar a lagoa. Já foi protocolado na Fatma um projeto para que possa ser feito o desassoreamento e a revitalização da lagoa. Os recursos já estão garantidos para fazer esse trabalho. A nossa preocupação é bastante grande, bastante completa. Houve, é claro, esse cortes de árvores, mas foi propagado de uma forma muito maior do que realmente era. As pessoas deveriam conhecer o local. As árvores que foram cortadas na praia Alegre tavam podres. [Qual a espécie?] Eu não sei, mas não eram árvores nativas. Você tinha que ver o estado que elas estavam. Graças a Deus que elas foram cortadas antes do dia sete, senão elas teriam caído. Se essa árvore caísse em cima de um carro ou de uma casa, também iriam bater no gabinete do prefeito.

_MG_1272

DIARINHO ? É verdade que o vereador Aquiles tinha pedido licença e mesmo assim foi demitido? Ele o está acusando nas rodas políticas  de perseguição política…

Evandro ? Não. Veja bem, o vereador Aquiles é amigo nosso. A situação do vereador é a seguinte: ele era funcionário do município, pediu licença para se afastar da função, mas como estamos num processo de reestruturação do sistema tributário, precisamos de todos os funcionários. Então ele entrou com um requerimento e sem esperar o deferimento da procuradoria jurídica ele se ausentou do trabalho. A Consolidação das Leis Trabalhistas é bem clara quando estabelece que se um funcionário não vem trabalhar, fica caracterizado abandono de emprego. Ele foi avisado. Ele foi notificado, inclusive, pelo oficial de justiça e mesmo assim ele fez pouco caso. A secretaria de Administração, em conjunto com a promotoria pública, desculpe, a procuradoria jurídica do município tomou as devidas providências. Na administração anterior, do PMDB, o Aquiles era funcionário e o Coelho (ex-prefeito) também o notificou por ingerência. Aquiles chegava tarde no trabalho, saía cedo, faltava… E este ano na nossa administração também tava tendo esse tipo de problema com o Aquiles. Então não é uma perseguição política, porque o ex-prefeito, que era do partido dele, também fez isso. Nós só fizemos porque precisamos tomar uma posição. Se o funcionário chega tarde, sai cedo, o chefe vai notificar, mas não teve perseguição política.

Quem quis levar para o lado político não foi nós, infelizmente foi o Aquiles. Mas o Aquiles é um bom menino.

DIARINHO – Quais as áreas da cidade que têm isenção de IPTU e outros impostos? Quais os critérios para isentar alguém de pagar imposto?

Evandro ? Existe uma comissão, que é composta por funcionários com cargos efetivos, para não ter qualquer tipo de pressão ou favorecimento. São estabelecidos alguns critérios, como ser aposentado e funcionário público, que tem direito a pagar a metade do imposto. Existem alguns critérios, mas não tem uma área específica para conceder este benefício. [É para beneficiar alguma determinada classe social?] Não existe nada disso. Na Santa Lídia não é cobrado IPTU porque ela é tida como zona rural, mas a partir do ano que vem nós somos obrigados a fazer o lançamento do IPTU da Santa Lídia. São Nicolau e São Cristóvão, também a mesma situação, porque essas regiões já estão contempladas no plano diretor da cidade. Em 2007, quando foi aprovado o plano diretor, aquelas áreas que eram tidas como rurais foram consideradas áreas urbanas. Inclusive se você chegar na Santa Lídia vai ter uma placa bem grande dizendo perímetro urbano. Hoje as isenções do IPTU são feitas com base nos critérios de uma lei municipal. A pessoa entra com um requerimento, e é feita uma avaliação pela comissão. Também é feita uma visita na casa da pessoa que fez o requerimento, juntamente com a assistência social, para saber se a pessoa obedece aos critérios estabelecidos na lei, para ver se ela tem direito à isenção do imposto.

DIARINHO ? Prefeito, o senhor pretende enfrentar os empresários que lotearam a chamada praia dos Alemães para se beneficiar e fazer, por exemplo, um calçadão e garantir o acesso a toda a população?

Evandro – Eu sou mais ousado. Primeiro, porque não pretendo enfrentá-los, eu pretendo chamar todos para conversar e mostrar um projeto, não somente de calçadão, mas que o nosso grande objetivo é fazer uma avenida à beira-mar. Mas nós vamos mostrar para os empresários que o desenvolvimento econômico de Penha passa por aquela avenida. Desde que eu nasci, desde pequeninho, que se ouve falar que para a cidade crescer, para ver o desenvolvimento turístico, é necessário que se faça essa avenida à beira-mar. Já estamos desenvolvendo o projeto e acredito que na alta temporada a gente consiga se reunir com todos os proprietários de casas daquela região. Esse é o nosso grande objetivo. Como ali é uma área de marinha, eu acredito que os próprios empresários querem essa construção. As obras vão trazer mais valor imobiliário para os imóveis, maior tranquilidade e segurança.

DIARINHO – Como o senhor pretende preparar Penha para o crescimento com uma cidade com tão poucos recursos?

Evandro – Quais são as medidas que estão sendo feitas para que possam estimular o desenvolvimento? O nosso orçamento tá saindo de R$ 30 milhões para R$ 50 milhões. Esse orçamento será votado este ano na câmara de vereadores. O orçamento que nós trabalhamos hoje é o orçamento da administração passada. Para que isso aconteça, estamos tomando algumas ações. Estamos terminando com a renúncia de receita que tinha no município. Isso até é passível de processo de improbidade administrativa. Nós estamos fazendo o recadastramento imobiliário. Já estamos com mais de 45% de todo o município de Penha recadastrado. Coisa que nunca foi feita em Penha. Então nós estamos fazendo esse recadastramento. Nós vamos mexer na planta de valores. Hoje tem terreno de frente por mar que o valor imobiliário dele é de R$ 400 mil, mas o valor venal lançado na prefeitura é R$ 10 mil. Isso é uma distorção muito grande e o gestor público sabe disso, porque tem o cadastro do imóvel. Se eu me omitir, eu posso ser processado por improbidade administrativa em função de renúncia de receita.

O pessoal da área de tributação do município, juntamente com uma consultoria, está estudando o novo código tributário do município. Nós montamos uma comissão de confiança, toda com pessoas ligadas ao ex-prefeito, o que mostra que não tem perseguição política. Nessa administração não existe politicagem, existe trabalho técnico. Politicagem quem faz é a oposição. Então para aumentar o nosso orçamento, recadastramento imobiliário, alteração da planta de valores e a reforma tributária. Por exemplo, em Itajaí, o ISS é 5%, Penha é 2,5%. Quando eu fui cobrar da Auto Pista Litoral, empresa concessionária da BR-101, que os royalties de Penha eram menores que dos outros municípios, descobri que o imposto aqui também era mais baixo. O administrador da empresa disse que na região da Amfri só Penha cobrava 2,5% de imposto. Ele disse: vão primeiro se organizar, pra depois falar comigo.

No recadastramento imobiliário não existe aumento de imposto. O que vai ser feito é um levantamento do tamanho da casa e do terreno e vamos confrontar pra ver se tá lançado na prefeitura. Se não estiver lançado o tamanho exato, será feita a cobrança. É um equilíbrio para que o município possa fazer uma justiça fiscal completa e coerente. São iniciativas que todos os municípios da região da Amfri já tomaram, mas Penha nunca teve. Navegantes, Piçarras e Ilhota também estão fazendo o recadastramento Imobiliário. Então é uma ação que todos os prefeitos fazem e que é de fundamental importância para o desenvolvimento da cidade.

DIARINHO – Prefeito, o senhor pretende implantar em Penha um modelo de administração semelhante a Balneário Camboriú, privilegiando as construções em detrimento da preservação ambiental?

Evandro – O nosso entendimento é fomentar o crescimento da cidade, principalmente na avenida Antônio Joaquim Tavares, a avenida principal da cidade, obedecendo o limite que foi determinado pelo plano diretor. O plano diretor nosso foi construído em oficinas, com a participação de toda a comunidade. Nós apenas aprovamos o que a comunidade entendeu que seria o melhor para a cidade, e o prefeito sancionou. Nós queremos fomentar o crescimento, mas não queremos perder as nossas belezas naturais. Hoje tu passa na avenida Atlântica, em Balneário, e vê como é bonito aquele calçadão. Mas também caminhar na praia Grande em Penha, onde tem aquela restinga, aquela beleza natural, é muito mais bonito. Tem que fazer o desenvolvimento econômico, o desenvolvimento sustentável com equilíbrio, preservando o meio ambiente, para que a gente não perca as nossas características. A gente quer fazer uma coisa equilibrada, que garanta o crescimento e a preservação do meio ambiente.

DIARINHO – Vilmar de Oliveira, diretor da secretaria de Obras da prefeitura de Penha, se notabilizou por cortar árvores e pelo jeito truculento e agressivo. Essa é uma orientação da sua administração? Como ele foi indicado para fazer parte da sua administração? Foi uma orientação do PSDB estadual?

Evandro – O Vilmar de Oliveira é um amigo de Penha, que mora há muitos anos na cidade. É uma pessoa extremamente comprometida com o município, comprometida com a administração. Ele é uma pessoa muito eficiente. É claro que ele acabou sendo duramente criticado pelos cortes de árvore. Eu nem vejo tanto pelo corte das árvores da praia do Quilombo, que estavam caindo. O que acontece é que tem situações que se o prefeito correr o bicho pega, se ficar o bicho come. Se ele tomar uma decisão, apanha. Se não tomar, também apanha. Ali no Quilombo, antes de dar o vento que quase derrubou as árvores, era um local que se tu fosse com a tua família tu correria algum tipo de risco, pois sempre tinha pessoas usando drogas. Quebraram os quiosques. Derrubaram a iluminação. A antiga administração colocou aparelhos de ginástica para a terceira idade, mas foi tudo quebrado. Destruíram tudo. [Não seria mais lógico fazer a segurança do local do que cortar as árvores?] Não, as árvores já tavam quase caindo e não eram árvores nativas, nem árvores grandes. Então agora nós vamos fazer uma praça no local, que tem um novo projeto. Vamos plantar palmeiras. A restinga vai ser preservada, vamos fazer uma praça urbanizada, com integração com o meio ambiente. [Porque palmeira e não uma árvore nativa?] A palmeira tem uma beleza natural, você pode perceber em Balneário Camboriú e até em Itajaí, que tem bastante palmeira plantada. [Mas não dá sombra…] A nossa preocupação não é dar sombra, mas promover o embelezamento da região, mesmo porque o pessoal que vai à praia quer é dar um mergulho…

Mas voltando à questão do Vilmar de Oliveira, ele não veio para o município de Penha indicado por ninguém. O Vilmar de Oliveira é um conhecido nosso de muitos anos, um conhecido da cidade, um cara que é trabalhador, acorda cedo e dorme tarde. É eficiente. Defende a comunidade de Penha há muito tempo. Ele é natural de Blumenau, mas há muito tempo está em Penha. A família dele tá toda aqui.

DIARINHO ? Pelo que se tem notado, a sua administração está preocupada em estimular o turismo. De onde surgiu a ideia de adotar as baleias orcas como símbolo da cidade? Penha foi palco da pesca de baleias francas e não tem nenhuma ligação com orcas… Isso não soa mal?

Evandro ? Vocês vão perceber que vai ter um golfinho em outras praias. A nossa preocupação não é cultural histórica, a nossa questão é de informação. Veja bem, se tu chega hoje em Itajaí, as praias estão sinalizadas pelo nome. Ok. Em Penha nós queremos colocar essa sinalização, mas sem fazer uma ligação com a história. Nós queremos fazer uma ligação com o Atlântico. Na praia de São Miguel está sendo construído o portal dos Camarões. Colocar uma placa seria o normal, mas nós queremos fazer o diferente. O que seria diferente, fazer um portal. Decidimos colocar duas baleias. No início seria um golfinho, mas depois resolveu mudar. Se for pegar pela história, é praia de Armação de Itapocoroy, mas ela é conhecida como praia do Trapiche. [Não fica estranho colocar orças na praia do Trapiche?] Pior era como tava antes, que não tinha nada. A nossa preocupação é divulgar a praia. Você chegou para tomar banho de mar ou ir a um restaurante e saber onde está. Na praia já tem até chuveiro instalado e não é chuveiro, são chuveiros estilizados de golfinhos. Nós entendemos que é uma coisa diferente. Nós estamos mais tematizando do que resgatando a história.

_MG_1259

DIARINHO ? As ruas da Penha, na temporada de verão, ficam intransitáveis. Qual a sua ideia para melhorar o trânsito da cidade?

Evandro ? Esse sistema binário que tem no município flui bem o trânsito. A nossa preocupação hoje são as transversais. Nós estamos com quatro equipes arrumando as ruas transversais, para até o final do ano deixar as ruas em perfeito estado de conservação.

DIARINHO – O senhor prometeu na sua campanha que a festa do Marisco voltaria para o coreto da praia de Armação. Isso será mantido?

Evandro ? Eu não prometi isso. A festa era feita no coreto, mas ficou muito grande. Hoje nós não temos estrutura para fazer a Festa do Marisco lá no coreto. Claro que eu teria o maior orgulho em fazer no bairro. Mas não temos estrutura… Na última festa, não sei se vocês vieram, passaram nos cinco dias mais de 30 mil pessoas. No sábado da festa deu 10 mil pagantes no show do Hugo Pena e Gabriel, fora as pessoas que tavam na festa, mas não estavam dentro do pavilhão musical. Como a festa ficou grande demais, as pessoas acabam pulando o muro das casas para fazer necessidades. A festa do marisco que era feita antigamente é uma outra festa. Quem teve na festa do marisco em 2007 e quem teve agora em janeiro de 2009 sentiu a diferença. É claro que se gente entender, e achar um local na Armação, a gente deve levar a festa pra lá em função da história da festa. O Alex Murad sugeriu fazer no estacionamento dos ônibus, em frente ao castelo do Beto Carrero. Mas perde a conotação do mar, entendeu?

  •  

7 Respostas to “Prefeito da Penha: Evandro dos Navegantes”

  1. pesca Diz:

    Parabens ao Evandro por essa administracao .

  2. sdpmvicente Diz:

    pra tudo ele tem soluçao, eta prefeito porreta. sera……….

  3. vinicio Diz:

    não estranhe se daqui alguns dias você chegar no gabinete do Evandro e lá estiver sentado na cadeira do prefeito o Alex ou o Aristedes

  4. belquiz Diz:

    Parabéns prefeito Evandro, continuamos acreditando na sua administração…
    Penha em rumo ao futuro

  5. pauloejessica Diz:

    Parabens Vando , continue assim , levando a Penha pro lugar onde deveria estar a muito tempo , faca a difreneca meu Irmao , pois todos que sentaram nessa cadeira antes de vc , soh quiseram fazer a mesma coisa , Penha viveu tempos retraidos e hoje com sua administracao seria vai finalmente alavancar o progresso que a tantos anos ficou estagnado.Soh naum se esqueca dos amigo neh rsrsrssr.

    Zinho.

  6. olavog Diz:

    Prefeito Evandro
    Através do “Entrevistão” o nosso DIARINHO nos capacita observar um pouco mais e melhor a seriedade e a competência do seu trabalho diante da imensa responsabilidade de administrar o município de Penha. Suas respostas diante da insistência dos entrevistadores pelas questões mais polêmicas demonstram também sua inteligência e preparo para o exercício do mandato. Não tenho dúvidas de que uma nova história de Penha começa a ser escrita com a paixão e o amor de um filho dessa mesma terra. Muitos projetos a serem desenvolvidos e citados na entrevista, importantíssimos para o crescimento econômico sustentável de Penha, terão severa reação dos munícipes, com desgaste político, que pode ser amenizado com um bom trabalho de conscientização, através da mídia e reuniões nas comunidades mais isoladas.
    Concordo plenamente com você e, não precisa ser muito inteligente para entender a importância infinita do “Parque Beto Carrero” para o nosso município…
    Sucesso!

    Prof. Olavo

  7. vinicio Diz:

    A Penha é do Senhor Jesus, Com Cristo na vida do Prefeito a Penha Vai pra frente
    II SAMUEL 23;3 Falou o Deus de Israel, a Rocha de Israel me disse: Quando um justo governa sobre os homens, quando governa no temor de Deus,
    4 será como a luz da manhã ao sair do sol, da manhã sem nuvens, quando, depois da chuva, pelo resplendor do sol, a erva brota da terra.
    5 Pois não é assim a minha casa para com Deus? Porque estabeleceu comigo um pacto eterno, em tudo bem ordenado e seguro; pois não fará ele prosperar toda a minha salvação e todo o meu desejo?

    Presbitero: Mauricio Z Felicio/ Gravatá

Deixe uma Resposta