• Postado por Tiago

A secretaria da Saúde de Navega sofreu duas baixas neste início de semana. O prefeito Bob Carlos (PSDB) exonerou a superintendente do hospital depois de receber denúncias de que pronto-socorro tava sem médico no fim de semana. Ontem, o secretário da saúde alegou problemas pessoais e pediu o boné. O perrengue motivou a prefa a avaliar o trabalho de todos os servidores da saúde e da fundação hospitalar, pra ver quem continuará no cargo.

A bronca com os funcionários da saúde de Navega começou no sábado. O prefeito foi chamado pra ir ao hospital e ver com os próprios olhos que o pronto-socorro tava sem médico pra atender o povão. A falta de dotô rolou porque a administração da unidade não encaixou nenhum médico na escala daquela tarde, alegando que não encontrou profissional que pudessem cobrir o horário. Porém, o prefeito conseguiu em uma hora e meia duas médicas para trampar.

Ainda no sábado, a superintendente do hospital, Leandra Bianch, foi exonerada do cargo. “Como vai ficar um pronto-socorro sem médico? Imagina se morre alguém lá!”, sinfeza Bob Carlos. O prefeito também desmentiu que o pronto-socorro do hospital será terceirizado. Ele diz que esta é uma possibilidade pra resolver o problema, mas a prefa ainda não decidiu.

Ontem, a prefa tomou a decisão de avaliar cargo por cargo dos que trabalham na saúde dengo-dengosa, tanto na secretaria como na fundação hospitalar. Bob Carlos explica que apesar de a prefa gastar 28% do orçamento do município em saúde, a área é a que mais recebe reclamações. Pra piorar, ontem o então secretário da saúde, Paulo Roberto de Souza, pediu exoneração alegando questões pessoais.

Quem ficou com a responsabilidade dobrada nesta história toda foi o secretário de administração, Juliano de Maria. Juliano, que é nutricionista, também assumiu a secretaria da saúde e ainda ficará como superintendente interino do hospital. Na semana que vem, o prefeito garantiu que anuncia o nome do novo chefão do hospital.

Não foi por falta de aviso

Há duas semanas, o vereador Marcos Paulo da Silva, o Marquinhos do PT, pediu a abertura de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para apurar denúncias de mau atendimento no hospital. Na ocasião, os vereadores de situação votaram contra. O parlamentar então protocolou uma denúncia no Ministério Público e pensava em convidar o secretário da saúde e a superintendente do hospital pra sisplicar na casa do povo. “Isto é prova de que tudo que eu tava falando era verdade, mesmo assim os vereadores de situação diziam que não era motivo de investigar”, relata.

  •  

Deixe uma Resposta