• Postado por Tiago

CAPA-LATERAL-g---Samir-Mattar-02---Prefeito-de-Barra-Velha

Prefeito quer que investigação acabe logo

O prefeito de Barra Velha, Samir Mattar (PMDB), foi ouvido ontem pelo delegado Marco Aurélio Marcucci sobre o caso em que o secretário de administração Luiz Henrique da Silva é acusado de receber propina pra liberar uns cascalhos da conta da prefa pra uma funcionária da câmara de vereadores. O prefeito pediu rapidez nas investigações e comentou o depoimento.

Eliane Mello jura de pés juntos ter entregado R$ 5 mil ao secretário para pôr as mãos em R$ 18,9 mil em materiais de construção através de uma conta da prefa num comércio local. A própria prefa pediu a investigação da polícia pra desvendar o rolo. O depoimento do abobrão que teria recebido a propina será marcado pra semana que vem.

A treta veio à tona quando a dona da loja de materiais de construção procurou a prefa este mês para cobrar R$ 18,9 mil, referentes aos produtos que tinham sido liberados pra Eliane Mello em março. Algum barnabé teria ligado pra loja autorizando a entrega do material a Eliane. A prefa então pediu ao delegado que abrisse o inquérito.

Com a investigação, Eliane confessou ter pago R$ 5 mil ao secretário Luiz Henrique. Em troca, o abobrão liberaria todo o material pra reforma do banheiro de casa da muié na conta da prefa na loja de materiais de construção. Ela disse ao delegado que, como Luiz é secretário de administração, achou que ninguém iria desconfiar. Depois disso, o secretário esteve na depê registrando um boletim de ocorrência contra Eliane por calúnia e difamação.

O delegado Marcucci conta que já ouviu sete pessoas e, pra concluir o inquérito, só faltam dois funcionários da loja e o secretário de administração, que serão ouvidos na semana que vem. Segundo o delegado, a investigação termina até o dia 15 de agosto. Depois de pegar o depoimento de Luiz Henrique, o delegado decidirá se o secretário será indiciado. ?Tudo tá caminhando para o indiciamento?, comenta o dotô. Se ele for indiciado, a pendenga será encaminhada ao ministério público. O secretário Luiz Henrique pediu afastamento temporário do cargo. A reportagem tentou contato com o abobrão por telefone, mas o celular estava desligado.

  •  

Deixe uma Resposta