• Postado por Tiago

Sobre as dificuldades do porto peixeiro, Jandir apontou primeiro a novela da dragagem quando o governo federal contratou um consórcio pro aprofundamento do canal, detonado na enchente, e foi embora sem terminar o serviço, fazendo com que a superintendência peixeira, em parceria com o Teconvi e o Portonave, contratasse uma nova draga pra terminar o aprofundamento.

Além disso, ele apontou a crise econômica mundial como complicador do Porto. Segundo ele, com pelo menos 60% da economia ligada ao terminal tudo ficou mais difícil. Nos primeiros três meses as atividades tavam praticamente paradas e as empresas de logística de Itajaí ou tavam sem trabalhar ou desviavam sua cargas pra outros portos. Até setembro o porto peixeiro tava atuando com 20% da sua capacidade de movimentação, hoje já tá com 50% em operação e 80% se for considerado todo complexo portuário do rio Itajaí-açu.

Na semana passada, em Brasília, o prefeito esteve com a ministra Dilma Roussef (PT) defendendo o aprofundamento do canal de acesso ao porto peixeiro. Jandir não quer ficar atrás dos concorrentes e a cidade tá brigando pra ter um calado de 14 metros. O prefeito confidenciou que na noite de quarta-feira recebeu telefonemas de deputados da bancada catarinense, entre eles Décio Lima (PT) e João Mattos (PMDB), confirmando aprovação de mais R$ 60 milhões pro aprofundamento. A bufunfa vai ser somada aos R$ 23,5 milhões já assegurados pela secretaria Especial dos Portos e vai contar também com abertura da boca do canal da barra. Os dois metros de calado a mais, segundo Jandir, dão uma diferença de mais ou menos 700 contêineres por navio, sem isso os armadores fugiriam pra outros portos.

  •  

Deixe uma Resposta